sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Goiana: Internautas denunciam comercialização irregular de água pelas ruas da cidade


Vários internautas do Blog do Anderson Pereira denunciaram sobre a comercialização irregular de água supostamente potável pelas ruas do município de Goiana, na Mata Norte de Pernambuco, nos últimos dias. A venda estaria sendo realizada diariamente na caçamba de um utilitário esportivo ou até mesmo em uma Kombi. A nossa equipe flagrou o líquido vendido dentro de um container IBC de 1000 litros, geralmente utilizado para armazenamento de produtos químicos, combustíveis, óleos ou água para reuso. Não sendo recomendado para armazenamento de água potável ou de consumo.

Os clientes geralmente levam um garrafão de água mineral vazio e a água "potável" é despejada através de uma torneira instalada na base do container.

O Blog do Anderson Pereira entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Goiana, que nos alertou sobre o perigo que a população pode estar sofrendo ao adquirir ou até mesmo ingerir tal líquido.

Leia também:
Vigilância apreende caminhões que vendiam água não potável em Goiana

A vigilância Sanitária de Goiana pediu que a população denuncie os veículos que trabalham vendendo água de foram irregular. O órgão esclarece que o serviço só pode ser feito por pessoas autorizadas, que possuem licença fornecida pela vigilância sanitária do município da água de origem. O órgão orienta a população para não comprar água de qualquer pessoa. As denúncias devem ser feitas diretamente na vigilância sanitária de Goiana, que fica na Rua Marechal Deodoro da Fonseca (Rua Direita), em frente ao antigo prédio da Prefeitura da cidade.

Ainda segundo a Vigilância, se a água estiver contaminada pode trazer riscos a saúde, gerando doenças como hepatite, gastroenterite, cólera, leptospirose, diarreia e paralisia infantil.

De acordo com informações obtidas pelo Blog do Anderson Pereira, em empresas autorizadas a comercializarem este tipo de produto, o processo de higienização é rigoroso e o envase ocorre de forma totalmente automatizada. "O contato é prejudicial, pois pode vir a passar um contaminante para a água em um certo momento. A própria legislação exige isso, que a água seja envasada sem o contato manual", explica o gerente de uma envase de água mineral em Santa Catarina, Sérgio Pires.

Outras denúncias e flagrantes poderão ser enviados para o WhatsApp do Blog, através do número (81) 9.9292-6725.
 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-