quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Polícia: Condenado pela morte do frei Luciano é preso em Goiana

Walter Maciel havia pedido a anulação do julgamento, mas a solicitação foi negada pelo TJPE.

A Polícia Civil de Pernambuco apresentou, nesta quarta-feira (4), em Goiana, na Mata Norte do Estado, os detalhes da prisão do técnico em refrigeração Walter Maciel Coreia, de 51 anos, condenado pelo assassinato do frei Luciano Santos de Andrade, em 2003. Walter foi preso na tarde desta terça (3) por uma equipe da delegacia da cidade -chefiada pelo delegado Thiago Uchôa - que cumpriu mandado de prisão por sentença condenatória após o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) negar recurso do acusado.

Em júri popular ocorrido em 2013, no Recife, Walter foi condenado a 21 anos de reclusão em regime fechado por homicídio duplamente qualificado. Na ocasião, o produtor musical Sérgio Aranha da Silva também estava no banco dos réus, mas foi considerado inocente pela maioria dos jurados. A defesa de Walter pediu a anulação do julgamento no mesmo dia, alegando que a condenação foi contrária às provas dos autos.

Leia também:Familiares e amigos de Sérgio Aranha realizam caminhada por justiça
Sérgio Aranha é absolvido. Walter Maciel condenado a 21 anos de prisão
Um dia após o julgamento, Sérgio Aranha desabafou
Uma semana depois do julgamento, Walter Maciel quebra o silêncio

O CRIME

Frei Luciano morreu após cair do primeiro andar do Convento de Nossa Senhora do Carmo, em Goiana, no dia 27 de agosto de 2003. Segundo perícia do Instituto de Criminalística (IC), o frade teria sido empurrado da sacada.

Walter Maciel e Sérgio Aranha, apontados como autores do crime, foram detidos um ano após o ocorrido acusados de latrocínio, pois, à época, chegou-se a dizer que R$ 10 mil que estariam com o religioso e seriam utilizados para reformar o convento teriam desaparecido. Como a existência do dinheiro acabou não sendo comprovada, a dupla foi julgada por homicídio. De acordo com as investigações, Walter coordenava a reforma do templo e Sérgio era diretor de eventos da prefeitura e organizou festas do convento.

Logo após a prisão de Walter, sua família emitiu uma nota sobre o caso. Confira abaixo na íntegra.
"Nota 
Hoje (3), Walter Correia, 51 anos, acusado de ter matado, o Frei Luciano, há 13 anos atrás, foi considerado culpado e já se encontra preso. Sua prisão foi efetuada na tarde de hoje em seu estabelecimento comercial. Ele foi preso no momento em que trabalhava e na presença de dois dos seus filhos e sua esposa. Em seguida foi levado para a delegacia de Goiana e por enquanto permanece por lá, até amanhã. 
Entenda o caso
Walter Correia, atualmente morador da Cidade de Condado-PE, foi preso na trade de hoje - em sua loja (situada em Goiana - PE). Ele está sendo acusado de ter assassinado o Frei Luciano. O crime aconteceu há 13 anos e durante todo esse processo muita coisa foi colocada de maneira equivocada. De início, existiram outros suspeitos, eles foram presos e depois soltos. Walter, também chegou a ir preso (13 dias) e depois foi solto por falta de provas. Existem muitas contradições nos depoimentos prestados (está tudo nos autos - temos o processo), depoimentos de pessoas alcoólatras foram considerados, depoimentos que comprovam que o acusado estava em outro local com outras pessoas, foram ignorados entre muitos outros detalhes que valem ser reavaliados.
Na primeira parte, o processo vem como um crime passional, mas não se sabe por que o delegado do caso foi afastado e as investigações ficaram paradas por 9 meses e Walter até então não era suspeito. Depois desse tempo, as investigações são retomadas e agora vem qualificada como latrocínio e Walter vem como suspeito. Ele prova, durante o processo, que nenhum dinheiro foi roubado (com tudo o que foi preciso na época), mas mesmo assim ele continua como alvo e sendo julgado e o crime passa a ser homicídio. Eles dizem que o crime foi cometido por 3 pessoas (inicialmente), acharam apenas 2 suspeitos - dentro das mesmas qualificações - , um é inocentado (mas voltou a ser acusado recentemente) e Walter fica como o assassino e hoje está sendo preso.
O propósito aqui não é defender e nem acusar ninguém, o que queremos é que o caso seja reavaliado e que as falhas que colocou um inocente na cadeia, sejam mostradas. Que muita coisa passou despercebida e que isso custou à liberdade de um inocente. Para quem se interessar e quiser abraçar a causa ou mais informações existe uma página no Facebook (https://www.facebook.com/inocentecondenado/) , onde tudo será postado sobre o processo".
Com informações do JCOnline

3 Comentários:

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-