domingo, 7 de fevereiro de 2016

Goiana: Ao invés da folia, melancolia na Rua Direita

Leitores do Blog do Felipe Andrade e Blog do Anderson Pereira enviaram algumas fotos da Avenida Marechal Deodoro da Fonseca, a popular Rua Direita, para reclamar da falta de uma programação carnavalesca. Em plena sexta-feira (5), véspera de Carnaval, a via pública que outrora se caracterizava como um grande centro da folia não apenas em Goiana, mas, sim, em toda a região, chamava a atenção pela melancolia. Neste domingo (07), outro internauta registrou a avenida completamente vazia, apenas com cavaletes, no início da noite.
"Veja que absurdo. Cadê as nossas tradições? Nós tínhamos o maior carnaval de toda a região e agora não temos nada. O pior é que a Prefeitura de Goiana ainda tem a capacidade de dizer que está valorizando a nossa cultura", criticou um leitor do Blog que pediu para nãos ser identificado.

Nas redes sociais, os goianenses manifestaram repúdio em relação a programação do Carnaval 2016.

Com informações do BlogdoFelipeAndrade

2 Comentários:

diogenes lemos compositor disse...

Eu não fui nem um dia! Pra quê? Não vi falar em nada de programação!Ha meus tempos! Aquilo sim era carnavais.O povo de Goiana adora festa mais infelizmente elegeram um prefeito que não gosta! Fazer o quê!!

Helton disse...

Devido ao fato deste prefeito ser seguidor de denominações protestantes que demonizam nossas tradições culturais, ele se sente no dever "divino" de exterminar a cultura da cidade e suas raízes arraigadas em suas tradições seculares. Não duvidem se este meliante vier com propostas malucas de demolições das Igrejas Históricas só por não condizerem com sua crença dita evangélica. Não apenas o Carnaval mais também o escalabro que foi o São João, é resultado do fanatismo religioso deste cidadão, que governa segundo vontade de sua dita fé, e não com a da maioria da cidade de Goiana. Fato.

Postar um comentário

Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Blog do Anderson Pereira.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-