quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Tecnologia: Redes Sociais em Ambientes Corporativos por Paulo Freire

O uso das redes sociais é cada vez maior, só no Brasil o Facebook tem mais de 45 milhões de usuários, e já existe até tratamento para o vício na rede social, mas não vamos falar exatamente do Facebook e sim no impacto que ele causa nas empresas. Pesquisas mostram que 3 a cada 5 empresas proíbem o uso de redes sociais no ambiente de trabalho alegando que o uso das mesmas provoca queda na produtividade dos funcionários. A IBM juntamente com outras empresas fez um levantamento que mostra que mais de 20% do tempo total de trabalho dos funcionários é desperdiçado em redes sociais, isso sem contabilizar as idas ao banheiro e as conversas na copa. Na mesma pesquisa foi revelado que mesmo nas empresas onde é proibido o uso das redes, ainda assim, o desperdício de tempo chega a mais de 10%. Com isso as empresas estão cada vez mais investindo em políticas de segurança que bloqueiam essas redes sociais.

Avaliando o outro lado da moeda, as redes sociais são extremamente benéficas no sentido de divulgação, pois atualmente é mais barato e mais eficiente se divulgar algo em uma rede social do que nas mídias tradicionais. O benefício é grande, mas é preciso haver controle dentro das empresas para não se perder o foco do trabalho.

Paulo Renato Cavalcanti Freire é Analista de Suporte Pleno na IBM Brasil e colunista do Blog do Anderson Pereira.

*As colunas assinadas não refletem, necessariamente, a opinião do Blog do Anderson Pereira.

3 Comentários:

Luiz Carlos Corrêa dos Santos disse...

O fato é que muitas empresas estão tentando deter o que é uma realidade no mundo de hoje. Só lembrando que há muitos anos, lá pelos anos 70 e início dos anos 80, manter contato com clientes e fornecedores por e-mail e até pelo telefone era considerado improdutivo e desnecessário. As empresas brasileiras em sua maioria são lentas, improdutivas e aversas a mudança. O melhor mesmo é se adequar às novas tendências e procurar usá-las em seu favor.

Paulo Freire disse...

Concordo Luiz Carlos e fico feliz em saber que é meu leitor, mas eu te pergunto, o que existe de produtivo no facebook????
Em que o facebook é útil por exemplo pra um funcionário da contabilidade ou do administrativo?
Pra isso existem os comunicadores coorporativos que funcionam como um msn só de funcionários!

Luiz Carlos Santos disse...

Concordo com você em relação a improdutividade gerada pelas redes sociais. Mas acredito que isso seja mais culpa do funcionário descompromissado e irresponsável, do que das redes sociais em si. As redes sociais talvez escancarem o que já acontecia a muito tempo, em várias empresas, como atrazos frequentes de funcionários em seus horários de chegada, pausas intermináveis para cafezinhos, conversas desnecessárias nos corredores, entre outros. Como qualquer outra ferramenta as redes sociais tem seu lado bom, como a divulgação e cultivo de imagem da empresa através de sua fan page, contato mais estreito com parceiros de negócios através de perfis profissionais, agilidade na comunicação de notícias da empresa, entre outros. Mas é claro que é esperar demais que todos os funcionários tenham a consciência de fazer bom uso das redes sociais, assim como ele pode usar o telefone para falar de assuntos pessoais ou o e-mail para repassar correntes e piadas, se não for orientado e fiscalizado. Portando, acho que cabe ao funcionário se conscientizar sobre o uso correto das redes sociais, assim como a empresas deve trabalhar para que elas seja usadas como se devem.

Postar um comentário

Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Blog do Anderson Pereira.