quinta-feira, 8 de outubro de 2020

Saúde: Cursos abordam impacto do isolamento nas redes de proteção

Itaú Social oferece formações gratuitas para organizações que atuam no fortalecimento de redes de proteção para crianças e adolescentes

Como o isolamento social como medida de prevenção ao coronavírus impactou o direito de convivência e a garantia de proteção de assistência social das pessoas? Dois cursos oferecidos pelo Itaú Social abordam como as redes de proteção formadas por órgãos de assistência social, conselhos tutelares, organizações da sociedade civil e outros serviços de convivência e fortalecimento de vínculos têm papel fundamental para minimizar os efeitos provocados pela pandemia, principalmente na acentuação das desigualdades sociais.

“Nesse momento precisamos dar visibilidade para as desigualdades e é preciso coragem, dignidade e respeito para reconhecê-las. Somente assim, vamos pensar em ações para combater ou reduzir esse impacto que a pandemia trouxe para as vivências”, explica a sócia-fundadora da Vira e Mexe, Stela Ferreira, uma das orientadoras do curso.

O objetivo dos cursos “Convivência: impactos do isolamento nas redes de proteção” e “Convivência: planejamento de ações”, disponíveis gratuitamente no Polo, ambiente de formação do Itaú Social, é trazer essa compreensão sobre as desigualdades e colaborar para o planejamento e a realização de atividades que fortaleçam vínculos comunitários e vínculos de cidadania com os Serviços Públicos existentes nos territórios.

Com sugestões de atividades práticas, que podem ser realizadas tanto presencialmente como de forma remota com a comunidade, o curso oferece ferramentas que favorecem situações de escuta das potências e fragilidades existentes nos vínculos comunitários e nos vínculos de cidadania, com mobilização de crianças, adolescentes e suas famílias.

Educação na Pandemia

Os cursos dedicadas às redes de proteção estão incluídos na área temática Educação na Pandemia do Polo, que oferece também conteúdos para gestores municipais e estaduais de educação, arranjos intermunicipais, professores e coordenadores pedagógicos e famílias lidarem com os efeitos causados pela pandemia na educação e na garantia de direitos de crianças e adolescentes.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-