sexta-feira, 12 de maio de 2017

Saúde: Sábado é o Dia D de vacinação contra a influenza

Em PE, 1,6 milhão de pessoas ainda precisam ser imunizadas

Este sábado (13.05) é o Dia D da campanha de vacinação contra a influenza. Em todos os municípios, os postos de saúde estarão abertos para atender os pernambucanos que estão inclusos nos grupos prioritários. Até a última quinta-feira (11.05), 637.742 mil pessoas (27,37%) foram imunizadas. Mais de 1,6 milhão ainda precisam tomar a vacina, que protege contra as influenzas A(H1N1), A(H3N2) e B e tem um ano de validade. Cerca de 5 mil pontos de vacinação, entre unidades de saúde e postos volantes, estarão disponíveis em todo o Estado.

Os grupos prioritários são formados por idosos, crianças de 6 meses a menores de 5 anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), indígenas, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional, professores dos ensinos básico e superior de escolas públicas e privadas e profissionais de saúde. A campanha segue até 26.05. Importante ressaltar que quem tomou no ano passado e continua dentro dos grupos prioritários também deve ser imunizado.

Em doenças agudas febris moderadas ou graves, recomenda-se adiar a vacinação até a resolução do quadro. As pessoas com história de alergia a ovo, que apresentem apenas urticária após a exposição, podem receber a vacina da influenza mediante adoção de medidas de segurança. A vacina é contraindicada para pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores bem como a qualquer componente da vacina ou alergia comprovada grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados.

SRAG E INFLUENZA – Em 2017, até 22.04, ocorreram 537 casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG), com 42 confirmações para influenza A(H3N2) e 4 para influenza B. Em 2016 foram 439 casos de SRAG, com 56 confirmações para influenza A(H1N1) e 2 para influenza B. Em relação aos óbitos, houve 1 para influenza A(H3N2) neste ano. Em 2016, foram 15 para influenza A(H1N1), além de mais 1 por influenza A não subtipada.
DADOS

- A gripe caracteriza-se pelo aparecimento súbito de febre, dor de cabeça, dores musculares (mialgia), tosse, dor de garganta e fadiga. Nos casos mais graves, geralmente, existe dificuldade respiratória e há necessidade de hospitalização.

- De acordo com a Organização Mundial da Saúde, estima-se que a influenza acomete 5% a 10% dos adultos e 20% a 30% das crianças, causando 3 a 5 milhões de casos graves e 250.000 a 500.000 mortes todos os anos, no mundo.

- De acordo com o Ministério da Saúde, estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias, de 39% a 75% a mortalidade global e em, aproximadamente, 50% nas doenças relacionadas à influenza.

- Estima-se que uma pessoa infectada seja capaz de transmitir o vírus para até dois contatos não imunes. As crianças com idade entre um e cinco anos são as principais fontes de transmissão dos vírus na família e na comunidade, sendo que podem eliminar os vírus por até três semanas. Indivíduos imunocomprometidos podem excretar os vírus influenza por períodos mais prolongados, até meses. Recentemente, comprovou-se que os vírus sobrevivem em diversas superfícies (madeira, aço e tecidos) por 8 a 48 horas.

Assessoria

0 Comentários:

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-