quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Polícia: Tiroteio dentro de casa deixa três mortos da mesma família em Caaporã

Vítimas foram baleadas em casa em Caaporã, no Litoral Sul da Paraíba. Um homem morreu no local e outros dois no hospital, segundo polícia.

Um tiroteio registrado na manhã desta quinta-feira (8) dentro de um casa na comunidade de Mangabeira, na cidade de Caaporã, no Litoral Sul da Paraíba, deixou mortas três pessoas de uma mesma família, o auxiliar de produção Valmir Ramos Correia, de 24 anos, Célio Severino Francisco, de 34 anos, natural de Pernambuco, mas residente em Caaporã e o pescador Agnaldo Pereira da Silva, de 44 anos, segundo a Polícia Civil.

Conforme o delegado Aneílton Castro, dois homens armados entraram na casa, no momento em que três homens bebiam e atiraram várias vezes. No tiroteio, um deles morreu no local e dois chegaram a ser socorridos e levados para o hospital da cidade, mas não resistiram aos ferimentos e também faleceram.

Segundo a Polícia Civil, testemunhas informaram que um homem apontou a casa e os dois homens armados chegaram a pé e invadiram o local. Após atirar nas vítimas, a dupla fugiu pelos fundos da casa, por uma área de mata, na divisa entre os estados de Paraíba e Pernambuco.

O delegado Aneílton Castro explicou que a polícia investiga as motivações para o crime, embora haja uma suspeita de relação com o tráfico de drogas. “Ainda estamos levantando as informações, não podemos afirmar a provável motivação. Sabemos que pelo menos uma das vítimas tem passagem pela polícia, ainda vamos checar os antecedentes das demais”, comentou.

As três vítimas eram homens e possuíam parentesco. A vítima que morreu no local do crime era o dono da casa onde foi registrado o tiroteio. Os outros dois eram irmão e genro do dono da casa.

A filha do dono da casa também estava no local no momento do tiroteio, mas a polícia não tinha confirmação se ela chegou a ficar ferida na ocorrência. “Ela foi para o hospital, mas não sabemos se foi para acompanhar o marido ou porque estava ferida. Mas, pelo que foi repassado pelas testemunhas, ela não chegou a ser baleada, mas pode ter sido ferida por algum estilhaço”, comentou o delegado.

Até as 12h25 desta quinta-feira a equipe do Instituto de Polícia Científica (IPC) estava no local realizando exames. A Polícia Militar realizou buscas pelas imediações do local onde foi registrado tiroteio, mas até o início da tarde desta quinta, nenhum suspeito tinha sido localizado.

Com informações do G1

0 Comentários:

Postar um comentário

Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Blog do Anderson Pereira.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-