segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Goiana: No lugar de canavial, fauna, flora e uma fábrica de carros

Sustentabilidade ultrapassa as fronteiras na unidade da FCA em Pernambuco

É sabido que a instalação da fábrica da Jeep em Goiana, Pernambuco, revolucionou a vida da cidade: criou milhares de empregos diretos, desenvolveu fornecedores, ampliou a educação, colocou a cidade no mapa do Brasil e trouxe auto estima à população. E o símbolo dessa mudança, o Jeep Renegade, é visto nas ruas de todo o Brasil.
Mas a parte quase invisível dessa revolução ficou circunscrita aos 440 hectares de terra onde a unidade fabril foi construída, embora o seu reflexo possa ter uma amplitude muito maior do que o próprio Renegade. Falo da revolução ambiental que transformou um árido canavial em uma área de matas nativas, num projeto proativo, que foi muito além dos condicionantes ambientais exigidos pela legislação para um empreendimento desse porte.

Mais do que recuperar, o trabalho de introdução da fauna e da flora na área da fábrica selecionou espécies que já não faziam parte do ambiente da região. Foram introduzidas 289 espécies vegetais – sendo que originalmente tinham ali somente 174– num total de 50 mil árvores plantadas.
A opção por fazer o reflorestamento apenas com espécies autóctones teve como objetivo constituir uma região sustentável, com economia de água e melhor reaproveitamento do calor. Foram reintroduzidas apenas espécies nativas da Mata Atlântica, visando recriar ambientes que possam contribuir para a regeneração florestal e atrair a fauna local. Foram selecionadas espécies da Mata Norte de Pernambuco, espécies que aparecem em risco de extinção local.

O projeto, no entanto, ultrapassa a área da fábrica, pois o canteiro de mudas ali construído fornece espécies para o plantio fora da unidade da FCA. No total são 99 espécies no viveiro que ocupa uma área de um hectare e produz 22 mudas a cada três meses.
Para realizar o reflorestamento do antigo e árido canavial a empresa contou com a colaboração das universidades locais, a Federal de Pernambuco (UFPE) e Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), que desenvolveram estudos da fauna e da flora secular da Zona da Mata Norte, promovendo o resgate histórico da biodiversidade local.
A recuperação de fauna e flora é o resultado mais visível do trabalho de sustentabilidade feito pela FCA em Goiana. A sustentabilidade no entanto está em cada fase de produção. Em relação à água, por exemplo, o reaproveitamento já começou com nada menos do que 98%. Já o reaproveitamento no calor dos fornos proporciona uma redução de 5% do uso do gás que é utilizado para a queima.

Os resíduos industriais são totalmente reaproveitados, isto é: a fábrica já iniciou as operações com o chamado Aterro Zero.
A sustentabilidade atinge diretamente o funcionário da FCA em Pernambuco: a preocupação com a economia da energia usada para iluminar a área administrativa, resulta num benefício adicional ao trabalhador: como as luzes se apagam impreterivelmente às 19 horas, ninguém na fábrica faz hora extra. Nem que queira.

3 Comentários:

Anônimo disse...

Essa ninguém fazer hora extra já é demais, enquanto isso trabalhadores só tem o dia domingo de folga

Anônimo disse...

Kkk acho engraçado fala de ter só domingo mas me recordo qunão cheguei a goIana PE em 2013 que o que se via era uma cidade com desemprego e na mão dos coronéis quem comentou uma MER** dessas ou nao previsão ou tá cuspindo no prato que come porque nós equipe da jeep mudamos o ritmo e qualidade de vida não só do guianense mas do pernambucano se toca e agradecá que tem

Unknown disse...

Parabéns para a Jeep, continuem assim!!! aplausos.

Postar um comentário

Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Blog do Anderson Pereira.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-