sexta-feira, 26 de junho de 2015

Novidade: Picape Toro da Fiat é flagrada na linha de montagem em Goiana

Antes conhecido apenas pelo nome código 226, modelo médio será exibido ainda nesse ano

E cai o pano. Assim poderia ser definido esse momento em que o flagra da picape Toro da Fiat caiu na rede. O material original foi recebido pelo pessoal do site Carscoop, que gentilmente autorizou Autoesporte a reproduzí-lo. O flagra foi feito, provavelmente, na fábrica de Goiana, na Mata Norte de Pernambuco. É o final de um ciclo de antecipações feito pelo nosso caçador de segredos, Marlos Ney Vidal, e pela equipe da redação. Vidal antecipou em primeira mão também o nome da picape, antes conhecida apenas pelo código 226.

Os flagras das mulas chegavam a confundir os leitores. Alguns até acharam que a picape estava totalmente diferente das projeções publicadas por Autoesporte na edição de novembro. Porém, conforme alertamos na ocasião, as mulas não tinham peças definitivas. A data de lançamento será atrasada, conforme antecipamos em primeira mão, porém o ano que vem é uma data menos provável, a apresentação se dará até o final de 2015.

Agora, observando o flagra do modelo apenas parcial, vemos que a inspiração no Jeep Cherokee ainda está lá. O estilo foi reproduzido levemente no conceito FCC4, levado para o Salão de São Paulo, em outubro do ano passado.

As linhas incluem faróis principais abaixo da grade, enquanto os auxiliares e piscas ficam logo acima. É basicamente a dianteira do crossover americano, o que nos deixa curioso para ver o resultado do crossover que pode ser construído sobre a Toro na fábrica de Goiana.
Plataforma e mecânica

Conforme havíamos antecipado, a picape se vale da mesma plataforma do Jeep Renegade, que será usada para todos os projetos a serem feitos na fábrica pernambucana. Do crossover, vem os motores 1.8 E.torq de 132 cv e 2.0 Mulijet turbodiesel de 170 cv. Há suspensão independente traseira do tipo Chapman, uma espécie de McPherson aperfeiçoado, sem falar no sistema de tração integral Selec-Terrain.

Mudarão os câmbios, contudo. O flex virá apenas com o automático de seis marchas da Aisin, enquanto o turbodiesel poderá vir com a caixa mais moderna de nove velocidades da ZF ou, de maneira diferente do Renegade, com um manual de seis marchas. Há suspensão independente traseira do tipo Chapman, uma espécie de McPherson aperfeiçoado, sem falar no sistema de tração integral Selec-Terrain.

É apenas um ponto em que o Toro é bem diferente de uma picape média. A plataforma de carro de passeio traz construção monobloco. Sem um chassi pesadão, o peso promete ser bem menor do que o das rivais, o que vai liberar um pouco de margem para ser usado na capacidade de carga. Embora as versões a diesel possam levar até 1 tonelada, a legislação brasileira entende o Select-Drive como um câmbio com reduzida, o que libera o veículo de atender ao quesito da capacidade de carga para poder usar motor a diesel. O Duster Oroch segue o mesmo tipo de construção e também aposta na suspensão independente atrás, uma garantia de dirigibilidade e conforto bem superior ao oferecido pelas médias parrudonas.

O painel também seguirá o esquema dos Jeep americanos, apostando em formas mais ousadas e acabamento interno equivalente ao de um hatch médio, aponta fonte. O espaço interno, por sua vez, será bom para cinco adultos. Unir a proposta de um carro médio a de um utilitário já foi aplicado por outros fabricantes, especialmente a Honda norte-americana, que produziu o Ridgeline com características bem semelhantes. Não por acaso, o Ridgeline foi flagrado algumas vezes em testes pela Fiat.
Porte e preços estimados

Em porte, a picape terá um pouco mais de porte do que a Duster Oroch. O Renault terá 4,70 metros de comprimento e capacidade de carga de 650 kg. Com opção de motor 1.6 de 115 cv, o modelo que já está sendo produzido na fábrica de São José dos Pinhais (PR) enfrentará a pequena Fiat Strada na versão cabine dupla. Leva vantagem do porte bem maior e das quatro portas, mas não se distanciará muito em preço.

Caberá ao modelo 2.0 do Duster Oroch a tarefa de enfrentar a Fiat Toro de entrada, esperada na faixa dos R$ 70 mil. O porte será maior, estamos falando em cerca de 5 metros de comprimento. O modelo turbodiesel da italiana, por sua vez, nadará de braçada no segmento dos diesel, pois será mais em conta do que suas rivais médias top de linha. Pode esperar por um preço de partida na faixa dos R$ 100 mil. Mesmo que seja mais em conta, o modelo da Fiat pode ultrapassar os R$ 130 mil quando completo.

AutoEsporte

2 Comentários:

Unknown disse...

ESSA É BONITA...E TUDO É CONFIÁVEL QUANDO O ASSUNTO É FIAT...VAI SER UMA BRIGA BOA ENTRE CAMIONETES.

Unknown disse...

a frente tem um design espetacular......

Postar um comentário

Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Blog do Anderson Pereira.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-