sábado, 3 de janeiro de 2015

Polícia: Suspeito de liderar 'cangaço' no Litoral Sul da Paraíba é preso em Pernambuco

Crimes como homicídios, tráfico de drogas e formação de quadrilha são atribuídos pela polícia a Samuel. Ele vai passar por exame de corpo de delito e deve ser transferido para a Paraíba

Samuel Mariano da Silva, suspeito de liderar uma estrutura semelhante a um cangaço em cidades do Litoral Sul da Paraíba, foi preso nesta sexta-feira (2), na cidade pernambucana de Igarassu, na Região Metropolitana do Recife. A identidade dele como suspeito foi divulgada pelo delegado da Polícia Civil Allan Murilo Terruel. Segundo a polícia, ele estaria à frente de tráfico de drogas, homicídios e criando uma espécie de organização criminosa na região.
No momento da prisão, Samuel estava com duas armas de fogo e acompanhado de outras pessoas que também foram presas.

Segundo o delegado de Repressão a Entorpecentes (DRE), Allan Terruel, a campana para encontrar Samuel estava sendo feita por agentes da DRE desde o Natal.
“Recebemos uma solicitação da polícia do Litoral Sul para que ajudássemos nas buscas pelo Samuel. Montamos quatro equipes de investigadores da DRE, que estavam trabalhando desde o Natal envolvidos na vigilância em cima do Samuel. Hoje (sexta) pela manhã, ele e outras pessoas saíram do acampamento e foram para a cidade de Igarassu”, contou.

Ainda de acordo com o delegado, ao perceberem a saída do acampamento, os agentes seguiram Samuel até Igarassu, onde ele foi preso juntamente com outras pessoas.
“Samuel e as outras pessoas, que são parentes e amigos também podem estar envolvidos nos crimes, foram presos. Como ele foi pego em outro estado, dependemos da liberação do juiz de Igarassu e da realização de um exame de corpo de delito para que possamos trazer todos os presos para a Paraíba”, concluiu.

Fonte: PortalCorreio

0 Comentários:

Postar um comentário

Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Blog do Anderson Pereira.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-