segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Polícia: Aposentada e menina são apreendidas tentando furtar Lojas Americanas em Goiana

Duas moradoras de Condado foram apreendidas em flagrante delito tentando furtar diversos objetos da Lojas Americanas, no centro de Goiana, na Mata Norte. A aposentada Maria Rita da Conceição, de 66 anos, e uma menina de 11 anos, foram apreendidas por funcionários da loja quando tentavam fugir com cadernos, dvd's, batata frita, estojo com lápis, canetas e borrachas, além de tabletes de chocolate.

Segundo informações dos policiais militares da 3ª Companhia (Sd Petronio e Sd Alexandre Dutra), as duas haviam enchido duas bolsas com os itens furtados, mas ao tentarem sair da loja, o sistema de alarme soou, chamando a atenção dos clientes e funcionários. A PM foi acionada e as acusadas foram detidas em flagrante.

A idosa e a estudante foram encaminhadas para a Delegacia de Polícia de Goiana, sendo autuadas em flagrante delito.

4 Comentários:

Marília da Rocha disse...

Justiça ou injustiça?
Uma senhora e de idade e uma criança de onze anos que disse que o sonho dela era ter material escolar novo pela primeira vez na vida, assim como um DVD e comer um chocolate que nunca comeu porque o dinheiro da sua avó só lhe cabia o pão de cada dia, são presas em Condado. Mulheres, pobres, excluídas do sistema que procuram tanto se enquadrar, presas e mandadas para as penitenciarias enquanto isso, homens como Eduardo Braga, ministro de Minas e Energias, rouba mais de 8 bilhões dos cofres públicos e vive pacatamente, em grandes mansões, com o dinheiro público.
Então, o que seria a justiça? Segundo o Aurélio, 1 Virtude que consiste em dar ou deixar a cada um o que por direito lhe pertence e conferir que todos são iguais perante a constituição. Mas que igualitariedade é essa, que pune quando se rouba para ter o que comer e se encaixar em um sistema que lhe excluí e lhe prêmio quando se rouba milhões e tira o pão de cada dia de muitos.
Esse é só mais um caso, que acontece todos os dias no país, enquanto muitos se preocupam com a pena de morta na Indonésia e se esquecem do próprio país. Mas, se é pobre e mulher, pra quê problematizar, não é verdade? Afinal, se atinge a grama do vizinho, achamos que estamos ileso. A constituição só serve quando se é aplicado para nós.

Kléber Cavalcanti disse...

Triste a realidade do nosso país que muita vezes nos deixa indignados com os ladrões de colarinho que não são presos, mas crime é crime, não podemos justificar um crime com uma injustiça.

Kléber Cavalcanti disse...

Triste a realidade do nosso país que muita vezes nos deixa indignados com os ladrões de colarinho que não são presos, mas crime é crime, não podemos justificar um crime com uma injustiça.

Liberdade de expressão! disse...

Marília, tudo que você disse é a realidade do nosso Brasil, mas isso não justifica o ato. Afinal um adulto está ensinando uma criança a furtar. Sou filha de gente paupérrima, entretanto a nossa falecida Mãe nos ensinou a sermos corretos em nossas ações. Tenho preocupação com os excluídos, mas existe outras formas de ensinar a não pegar no alheio. Se fosse roubo famélico seria diferente. Os produtos furtados são considerados supérfluos . Mas Valeu a sua opinião, pois é uma crítica construtiva!

Postar um comentário

Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Blog do Anderson Pereira.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-