sábado, 19 de dezembro de 2020

Polícia: Assaltante é preso em Goiana dois anos após fugir de penitenciária na Paraíba

Havia três mandados de prisão contra o indivíduo, todos pelo crime de roubo, de acordo com a Polícia Civil.

Um assaltante que estava foragido do sistema penitenciário da Paraíba desde 2018 foi preso na terça-feira (15), em Goiana, na Zona da Mata de Pernambuco. Segundo a Polícia Civil, ele fugiu da Penitenciária de Segurança Máxima Romeu Gonçalves Abrantes, o PB1, localizado no bairro de Jacarapé, em João Pessoa, fato ocorrido na madrugada de 10 de setembro de 2018, resultando na fuga de 92 detentos.

De acordo com a Polícia Civil, o homem é considerado de alta periculosidade e alvo de três mandados de prisão, referentes aos processos nº 0008083-61.2017.8.17.0001, da 11ª Vara da Capital, 7000737-39.2016.18.15.2002, da Vara Execução Penal de João Pessoa/PB e 0016058-73.2015.8.15.2002, da 3ª Vara Criminal de João Pessoa/PB, todos relacionados ao crime de roubo. O homem identificado como Luciano Alves Leite, natural de Recife, de 49 anos, foi preso por policiais civis da Delegacia de Goiana, sob a coordenação do delegado Felipe Pinheiro.

A fuga da penitenciária em João Pessoa aconteceu após uma explosão para resgate de presos no local. Um policial militar morreu depois de ser baleado durante a ação criminosa.

A Polícia Civil informou, ainda, que o homem foi levado à Cadeia Pública de Goiana para ser, posteriormente, encaminhado ao sistema penitenciário da Paraíba.

A fuga

A fuga aconteceu no dia 10 de setembro de 2018 e começou com pessoas atirando de dentro de uma mata. Criminosos atiraram nas guaritas que estavam ocupadas por policiais militares, para confundi-los, e iniciaram uma troca de tiros.

Utilizando até mesmo fuzis, os bandidos fizeram com que os agentes penitenciários tivessem que se abrigar. Durante a fuga dos detentos, um policial militar foi baleado na cabeça. Ele foi levado para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, onde morreu.

Um grupo de criminosos fechou a rodovia e houve troca de tiros. A ação foi tão violenta que escolas municipais e Unidades de Saúde da Família ficaram fechadas no dia seguinte à fuga.

Com informações do G1 / Blog do Anderson Pereira
 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-