domingo, 25 de outubro de 2020

Polícia: Homem é preso em flagrante em Goiana após receber R$ 2 mil em notas falsas de R$ 100 pelos Correios

Ele contou à Polícia Federal que recebeu encomenda em nome de um amigo que mora em Itambé. Pacote com as cédulas saiu do bairro de Vila Mariana Alta, em São Paulo.

Um homem de 30 anos foi preso em flagrante após obter 20 notas falsas de R$ 100 em uma encomenda recebida pelos Correios, totalizando R$ 2 mil em cédulas ilegítimas (veja vídeo acima). O caso ocorreu em 15 de outubro no município de Goiana, na Zona da Mata, e foi divulgado pela Polícia Federal (PF) nesta quarta-feira (21).

A PF informou que o homem, que trabalha como ajudante-geral, foi identificado após policiais do 2° Batalhão de Polícia Militar receberem uma denúncia de que haveria repasse de notas falsificadas nas imediações da Central de Distribuição dos Correios de Goiana.

Os policiais foram até o local, encontraram o homem e pediram para que ele abrisse o pacote. A encomenda tinha como remetente um endereço no bairro de Vila Mariana Alta, no município de São Paulo.
As notas falsificadas estavam dentro do pacote, todas com a mesma numeração de série, segundo a polícia. O homem contou que havia cedido o seu endereço para um amigo que mora em Itambé, na Zona da Mata, e que receberia uma recompensa pela encomenda. Ele afirmou, ainda, que não sabia que se tratava de notas falsas.

"Ele disse que é vítima porque esse colega que ele conheceu há mais ou menos dois meses jogando bola em Itambé foi o pivô de tudo isso. Ele foi nos Correios receber e, quando chegou lá, os policiais militares já estavam fazendo rondas porque tinham recebido denúncias", contou Giovani Santoro, chefe de comunicação da PF em Pernambuco.

O homem foi autuado em flagrante pelo crime de possuir notas falsas. Segundo a PF, ele não possuía antecedentes criminais, passou por audiência de custódia e foi liberado para responder ao processo em liberdade. Caso seja condenado, pode pegar penas que variam entre três e 12 anos de reclusão, além de multa.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-