quinta-feira, 10 de dezembro de 2020

Reconhecimento: Grupo cultural Pretinhas do Congo de Goiana é eleito Patrimônio Vivo de Pernambuco

O grupo cultural As Pretinhas do Congo de Goiana foi eleito um dos seis novos Patrimônios vivos de Pernambuco. Fundado no ano de 1936, na comunidade ribeirinha do Baldo do Rio, antigo porto da cidade, a Nação Africana Pretinhas do Congo de Goiana (no tempo “Pretinha do Congo”) é uma brincadeira popular de tradição afrodescendente que, através de suas evoluções, representa a vida cotidiana dos escravos negros trabalhadores dos engenhos da Zona da Mata Norte de Pernambuco. A brincadeira é composta por homens e mulheres de várias faixas etárias. Escravos da lavoura que portam enxadas e ferramentas de trabalho, pretinhas, feitores e senhores de engenho configuram a sociedade fundiária escravagista, e são satirizados através das toadas e loas, dançadas continuamente durante o desfile.

Estes, personagens formam dois “corsões” de brincantes, vassalos (ou secretários), pagem e dama representam a monarquia, semelhante aos maracatus de baque solto e virados. Os batedores (percussionistas) acompanham Mestre Val, que anima a brincadeira com suas toadas e cortes de apito, sendo estas cantigas respondidas pelos outros brincantes também, em especial pelo bandeirista que se posiciona em alguns momentos em frente ao mestre.
“A AD – Goiana, que é a agência de desenvolvimento do município, busca o fortalecimento dos nosso grupos culturais. Demos todo apoio ao grupo na fase de inscrição no concurso, toda a assessoria técnica necessária. Esse serviço é prestado a todos os grupos culturais que precisam do suporte do município”, diz Willemberg Francelino, responsável pelo programa Goiana Criativa da AD – Goiana.

Os outros eleitos no concurso de Patrimônio Vivo de Pernambuco são: Mestra Ana Lúcia (Olinda), Clube Carnavalesco Misto elefante de Olinda, Grupo Cultural e Religioso Guardiões de São Gonçalo de Itacuruba (Itacuruba), J. Michiles, e Dona Menininha do Alfenim (Agrestina). Com os novos eleitos, agora o estado conta com 69 Patrimônios Vivos.
Os escolhidos passam a receber o diploma do Governo de Pernambuco com o título de “Patrimônios Vivos de Pernambuco” além de uma bolsa mensal vitalícia no valor de R$ 1.600,00 (no caso de pessoa física) e R$ 3.200,00 (quando for grupo, entidade, agremiação ou associação).

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-