quarta-feira, 29 de maio de 2019

Combate à Corrupção: Ação contra fraude na compra de alimentos em Paulista prende empresários e afasta secretário e servidores

Segundo polícia, contratos investigados somam R$ 600 mil. Entre os afastados estão o secretário de Políticas da Juventude, pregoeiro e três funcionários do Executivo.

Uma operação contra fraudes em licitações e corrupção na prefeitura de Paulista, no Grande Recife, prendeu dois empresários, nesta terça-feira (28). A Justiça determinou também o afastamento das funções de um secretário municipal, de um responsável por pregões e de três servidores. São investigados contratos que totalizam R$ 600 mil na compra de alimentos. (Veja vídeo abaixo)
Os presos são os empresários Norberto Pessoa Brito, dono da Kaluah, e Aluísio Mendes de Araújo, proprietário da Araújo Dantas. Foi afastado das funções na administração municipal o secretário de Políticas Sociais, José Augusto da Costa.

De acordo com a prefeitura, o secretário entregou o cargo e a Secretaria de Políticas Públicas vai abrir inquérito administrativo para apurar as denúncias. O prefeito Júnior Matuto (PSB) informou que o chefe de gabinete assume a secretaria. "Vamos fazer intervenção na secretaria e montar uma comissão de apuração dos fatos", disse.
Os outros funcionários proibidos de exercer as funções na prefeitura são o pregoeiro Marcos Veríssimo de França, Marina Dantas de Lima, que fiscalizava os contratos, Joseli Nunes da Silva, que recebia os alimentos entregues pelas empresas, além de Zenaide Carla Barbosa, que atuava no gabinete do prefeito.

Sobre os outros funcionários afastados, o prefeito afirmou que nunca recebeu denúncias de atos irregulares. "Temos mais de 5 mil servidores e não acompanho a vida pessoal de ninguém, mas vamos tomar as medidas cabíveis", disse o prefeito.
Fraude

De acordo com o delegado Jean Rockfeller, diretor de Polícia Especializada, os empresários se uniram para fraudar a compra de alimentos para abrigos de acolhimento para idosos e dependentes químicos. "Eles se uniam para direcionar as licitações. [...] Identificamos que os empresários não entregavam os alimentos ou forneciam produtos sem qualidade e até vencidos", afirmou o policial.

Ao todo, a Vara Criminal da Comarca de Paulista expediu 15 mandados de busca, cumpridos em Paulista, no Recife e em Abreu e Lima, na Região Metropolitana.

Segundo Jean Rockfeller, na casa do responsável pelas licitações, a polícia apreendeu R$ 230 mil e uma arma. Também foram apreendidos cinco carros.
Investigação

A investigação, que resultou na operação desta terça, começou em janeiro deste ano e está sob a responsabilidade do delegado Diego Pinheiro, do Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (Draco). Denominada Convescote, a ação investiga fraudes em licitações, falsidade ideológica, corrupção passiva e ativa.

Segundo as investigações, o empresário Aluísio Mendes de Araújo tem empresas que firmaram 34 contratos com a prefeitura. Ainda de acordo com a polícia, ele é namorado de Zenaide Carla, que atua no gabinete do prefeito desde 2014, quando foi assinado o primeiro acordo entre as duas partes.

Ao todo, 80 policiais civis do estado foram escalados, entre delegados, agentes e escrivães. Os presos e apreensões foram encaminhados à sede do Draco, no bairro de Tejipió, no Recife.

Resposta

Sobre as investigações, o prefeito de Paulista disse que a gestão municipal vai colaborar com a polícia. "Tomamos conhecimento hoje [terça] de que algumas empresas vinham sendo investigadas no estado e aconteceu que essa operação foi aqui na cidade", afirmou Júnior Matuto.

O gestor afirmou, ainda, que não recebeu queixas de precariedade nem falta de alimentos em abrigos. "Tivemos reunião com o Ministério Público e não foi relatado problema sobre essa comida dos abrigos", acrescentou.

O G1 tenta contato com as defesas dos envolvidos na operação.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-