quinta-feira, 4 de abril de 2019

Economia: Preços de remédios variam mais de 600% em farmácias de Recife e Goiana

Procon-PE pesquisou os valores de 38 medicamentos em farmácias de Recife e Goiana e constatou a diferença no preço de um mesmo produto

Uma lista de 38 medicamentos pesquisados em várias farmácias das cidades do Recife e de Goiana constatou diferenças enormes de preços. Realizado pelo Procon-PE, o levantamento apontou diferença em valores do mesmo medicamento em diferentes estabelecimentos, e também diferença exorbitante de preços entre genérico e medicamento de marca no mesmo estabelecimento. Na lista, são encontrados medicamentos para tratar do controle da hipertensão arterial, do diabetes, náuseas e vômitos e antibiótico para tratamento de infecções bacterianas, por exemplo.

No Recife, foram pesquisadas 12 farmácias. O medicamento genérico do Captopril de 50 mg com 30 comprimidos, que é usado para o controle de pressão arterial, foi encontrado com 662,36% de diferença em dois estabelecimentos distintos. Ou seja, o mesmo remédio foi encontrado por R$ 4,33 e R$ 33,01. “Para os consumidores que têm a possibilidade de pesquisar os medicamentos na farmácia é importante para conseguir comprar mais barato, pois foram encontradas grandes diferenças de preços”, disse a gerente de fiscalização do Procon-PE, Danyelle Sena.

No município de Goiana, foram pesquisados 15 estabelecimentos. A maior diferença foi o Maleato Enalapril de 10 mg com 30 comprimidos, também utilizado para controle da pressão arterial. No medicamento de marca, foram encontrados preços de R$ 5,49 e R$ 35,70, ou seja, variação de 550,27%.

Segundo a Federação Brasileira das Redes Associativistas e Independentes de Farmácias (Febrafar), a regulação do mercado de medicamentos é de responsabilidade da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED). Esse órgão estabelece limites de preços e determina regras para a concorrência no setor.

Fiscalização

O Procon-PE também iniciou na tarde de terça-feira uma fiscalização para verificar se as farmácias estão cumprindo o Código de Defesa do Consumidor. Neste primeiro momento, foram fiscalizados três estabelecimentos do bairro do Espinheiro, Zona Norte do Recife. Foram verificados a data de validade dos medicamentos, as informações sobre a forma de pagamento e também sobre a exigência de CPF na hora da compra, pois o consumidor precisa ser informado sobre a utilidade do CPF.

FolhaPE
 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-