sexta-feira, 23 de maio de 2014

Polêmica: Vai ficar por isso mesmo?

Por Jamile Coelho

Os vereadores estão indignados com os gastos do Executivo em 2013. Foram R$ 50 milhões aplicados em “bem-feitorias” que não foram concretizadas ou que simplesmente não fazem sentido. Um dos questionamentos do parlamentar Arnaldo Compensado se refere às despesas com montagem e desmontagem de estrutura de palco. Foram liberados R$ 3,2 milhões para eventos. Vale ressaltar que, nem sequer, houve festejos carnavalescos ou juninos que justificassem as contas.

Além disso, foram desembolsados mais de R$ 731 mil só com combustíveis; R$ 5,5 milhões para alugueis de carros (o que daria para comprar mais de 100 veículos); quase R$ 12 milhões com serviços de manutenção e suporte técnico de software e R$ 909 mil com a construção de uma quadra poliesportiva que, segundo Ferreira, ninguém ainda viu a cor do equipamento. O relatório com as despesas foi encaminhado ao TCE. Caso o dinheiro tenha sido gasto inadequadamente, cabe aos auditores irem até a cidade para acompanhar a situação de perto, concordam? E os vereadores vão tomar qual providência?

“Com material hospitalar se gastou R$ 2,9 milhões e mais R$ 9,3 milhões com medicamentos. Como? Se a estrutura dos postos de saúde está precária e a população vive reclamando da falta de medicamento”, indagou Ferreira.

Educação, que nada!

A greve dos professores de Goiana completa exatos 30 dias. O pior é que ainda não existe nenhum sinal para a volta às aulas, já que a prefeitura se nega a atender o pleito de aumentar em 8,32% os salários da categoria, acompanhando o reajuste do piso nacional, que vigora desde janeiro. Diante de todo o transtorno, a única proposta apresentada pelo Executivo foi de ajustar os valores em 0,7% para mais de 60% da categoria. Parece piada, não é?

Fonte: Folha PE - Coluna Folha Econômica
 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-