quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Política: Prefeito teria participação em fraude de licitação em PE

Segundo o vereador de Goiana, Bruno Salsa (sem partido), ao saber que seu nome estava sendo envolvido na investigação, o prefeito cancelou até sua licença médica para assinar a exoneração do controlador Rodrigo Brayner Dalia

Uma denúncia de superfaturamento no contrato de coleta de lixo na cidade de Goiana, na Região Metropolitana do Recife, provocou a exoneração do controlador geral do município, que teria descoberto o esquema fraudulento. A demissão sumária resultou em uma debandada de secretários municipais da gestão do prefeito Osvaldo Rabelo Filho (MDB).

Segundo vereador de Goiana, Bruno Salsa (sem partido), ao saber que seu nome estava sendo envolvido na investigação, o prefeito cancelou até sua licença médica para assinar a exoneração do controlador Rodrigo Baryner Dalia. "Quando o cerco começou a se fechar, Osvaldo, que estava afastado em São Paulo, não apresentando nenhum atestado de alta na Câmara, reassumiu às pressas, de muleta e com máscara, para demitir o controlador”, contou.

Bruno Salsa garante que há um superfaturamento no valor do serviço prestado pela "Locar", que chega a R$ 1 milhão por mês. A empresa que ganhou o processo licitatório teria, sem motivo justo, aberto mão da licitação dando a oportunidade para a "Locar", que ficou em segundo lugar, assumir o serviço. “Inclusive a mesma empresa prestou serviço para o prefeito [Osvaldo] há 20 anos. Depois de duas décadas, o prefeito venceu a eleição de novo e chamou a mesma empresa”, disse.

O vereador ainda fala sobre outras "corrupções" no prefeitura de Goiana. "Há venda de caminhões de aterro de forma particular para terceiros pela própria secretaria de serviços públicos, superfaturamento de notas e troca de favores relacionados à Autarquia de Goiana, onde o presidente emprega pessoas na 'Locar' em troca de favores”, expôs. 

Salsa contou que toda a situação está sendo levado para conhecimento do Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE-PE), bem como do Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

Debandada - Depois da exoneração do controlador, vários cargos comissionados da prefeitura pediram demissão em documento coletivo assinado e entregue ao gabinete do prefeito no último dia 6 de agosto. Saíram, entre outros, a Procuradora Geral, Lady Diana Aquino Brito, a secretária de Urbanismo e Obras, Taisa Gueiros Barbosa e a secretária de saúde, Roseli Luzia de Souza Nascimento.

Resposta - Por meio de nota publicada no site da prefeitura, o prefeito anunciou uma comissão para investigar as supostas irregularidades.

“No seu retorno ao comando da gestão municipal, após passar um longo período afastado por motivos de saúde, o prefeito Osvaldo Rabelo Filho tem realizado uma série de ações para tomar conhecimento da real situação do município, colocar em prática o seu planejamento estratégico e investigar denúncias de supostas irregularidades praticadas durante a sua ausência”, diz um trecho do texto. Pode ser quem for, se errou será punido. Nós iremos investigar todas as denúncias. Inclusive peço para que façam denúncias de forma oficial, finaliza.

Leia Já
 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-