quarta-feira, 30 de julho de 2014

Goiana: Agora, só falta a contrapartida

Por Jamille Coelho/FolhaPE

Com recursos na ordem de R$ 230 milhões, a Compesa inicia o segundo ciclo do Programa Cidade Saneada, mais conhecido como PPP do Saneamento. A segunda etapa do plano, que prevê coletar e tratar 90% do esgoto da Região Metropolitana e de Goiana em 12 anos, destinará R$ 25 milhões para as obras da cidade que abriga a Fiat e a praia de Ponta de Pedras. As duas localidades, inclusive, serão as primeiras a receber um sistema de tratamento a vácuo.

As obras serão responsáveis por livrar o mar - um dos mais, se não o mais, poluído do Estado - de receber os dejetos que saem das casas. O esquema de saneamento deplorável implantado em Ponta de Pedras é antigo, mas nenhum dos governantes se preocupou em instalar as redes de drenagem das redes de esgoto. Prova disso são as dezenas de saídas de esgoto desaguando no mar e causando doenças à população. A PPP vai “sanar” o problema. Agora, se a prefeitura não fizer a sua parte, evitando que os moradores façam as duas conexões numa só, o trabalho será em vão. Fique atento prefeito, Fred Gadelha.

É importante que a população também colabore. O que não pode é um destino turístico ser tomado por lixo e esgoto apresentando riscos aos moradores e visitantes e poluindo o mar.

Dando o recado!

O prefeito de Goiana, Fred Gadelha, não acredita que a PPP do Saneamento chegará às praias da cidade, já que ele não recebeu um comunicado formal da Compesa informando sobre as obras. Em resposta, o presidente da companhia, Roberto Tavares disparou: “enquanto ele está esperando um pedaço de papel, a gente vai chegar lá com cimento, pedra e tudo o que for preciso para executar a obra”.
 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-