quinta-feira, 6 de junho de 2019

Meio Ambiente: Jeep comemora 5 anos do programa Mata Atlântica

Cerca de 100 mil mudas de 295 diferentes espécies crescem em Goiana

A Jeep aproveita o Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado nesta terça-feira, 5, para divulgar balanço do seu programa de biodiversidade no Polo Automotivo de Goiana (PE), que acaba de completar 5 anos. O viveiro local tem hoje perto de 100 mil mudas de 295 diferentes espécies da Mata Atlântica e a meta é alcançar o plantio de 208 mil mudas até 2024, com a criação de 304 hectares de área verde e corredores ecológicos.

“É um dos mais relevantes projetos de recuperação da Mata Atlântica em curso no País”, garante a coordenadora do Programa de Biodiversidade Jeep, Danubia Lima. “O Polo Automotivo Jeep, atualmente, é também uma fábrica de mudas”.

Segundo a coordenadora, o envolvimento da comunidade de Goiana é o grande diferencial do projeto. “Mateiros são mobilizados para a coleta de sementes e frutos em remanescentes da Mata Atlântica da região, garantindo que a biodiversidade local seja recuperada”, informa.

Em 2014, antes mesmo da inauguração da fábrica, as sementes plantadas no viveiro local começaram a germinar. Na época, quando foi firmada parceria com as universidades federais de Pernambuco (UFPE) e Rural de Pernambuco (UFRPE), foram identificadas 174 espécies nativas no município de Goiana.

“Hoje, esse número saltou para 295, ou seja, temos uma biodiversidade mais rica do que a catalogada em Goiana durante os estudos iniciais”, ressalta Danubia.

Segundo explica a coordenadora, os locais para o plantio são escolhidos com cuidado, para a formação de corredores ecológicos capazes de conectar fragmentos florestais e atrair a fauna local. Máquinas fotográficas, utilizadas para monitoramento da fauna, já captaram imagens de tamanduás e jaguatiricas, inclusive com filhotes.

De acordo com a fabricante, o Polo Automotivo Jeep é a primeira planta do Nordeste a ser Aterro Zero. Desde outubro de 2015, 100% dos resíduos gerados são enviados para reciclagem e reutilização. Todos os resíduos gerados no vão para a Ilha Ecológica, uma área de 3 mil metros quadrados com 82 profissionais, em três turnos de operação. Atualmente, são 29 contratos de destinação de resíduos, a maioria é de empresas da região.

Comunicação Corporativa da FCA
 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-