terça-feira, 10 de abril de 2018

Economia: Goiana em Ação atua pelo desenvolvimento sustentável do município

O movimento une representantes da iniciativa privada, do poder público e da sociedade civil para definir temas prioritários e plano de ação para Goiana

Nos últimos anos, a população de Goiana viu o município passar por grandes transformações que repercutem no desenvolvimento econômico e social da cidade, como a instalação de grandes indústrias e a recém incorporação na região metropolitana de Recife. Movidos pela vontade de construir um futuro sólido para o município, empresas privadas se uniram ao poder público e a representantes da sociedade civil local para criar o Goiana em Ação – Fórum de Desenvolvimento Sustentável de Goiana. O evento de lançamento do Fórum acontece amanhã, dia 10, às 18h, no Sesc Ler – Goiana, no qual será apresentado também os resultados do Índice de Progresso Social (IPS). 

A iniciativa teve origem a partir da parceria entre a Klabin e o Polo Automotivo Jeep, da FCA. O movimento foi concebido como um espaço de diálogo voluntário, horizontal e democrático, com objetivo de estimular a articulação e a participação dos diversos atores da sociedade nas discussões e decisões relevantes para a melhoria da qualidade de vida do município. “Todos nós fazemos parte da comunidade de Goiana e queremos o melhor para a cidade. Assim, juntar todos num mesmo esforço e direção potencializa os resultados que podemos colher em prol da população e do município”, afirma Luciana Costa, Coordenadora de Sustentabilidade para a FCA na América Latina.    

O grupo tem encontros mensais e conta com a participação das principais lideranças de Goiana, representantes do poder público e da iniciativa privada, além de moradores, que são convidados a contribuir nas discussões e ações. “O protagonismo local e a participação ativa dos diversos integrantes do Fórum é fundamental. O diálogo democrático cria uma agenda de desenvolvimento autêntica e legitimada pela sociedade, onde todos se sentem motivados a contribuir, zelar e promover melhorias para o município, ressalta a Gerente de Gestão de Sustentabilidade e Comunicação da Klabin, Carime Kanbour. 

Para identificar os primeiros participantes do Goiana em Ação e concretizar o movimento, foi feita ainda uma parceria com a Avesso, consultoria especializada em projetos de desenvolvimento local. “Nosso papel é estimular que os participantes do Fórum dialoguem de maneira transparente e franca e busquem construir, em conjunto, uma nova forma de desenvolvimento para o município”, explica Judi Cavalcante, consultor da Avesso que atua como mediador. Nos encontros, o time é estimulado a estabelecer vínculos comunitários, senso de pertencimento e são apresentados a conhecimentos e ferramentas para dar suporte ao desenvolvimento das iniciativas prioritárias definidas pelo fórum em conjunto. Todo o trabalho é feito de forma coletiva e o objetivo é que o movimento tenha gestão própria.

Além de compartilhar informações e conhecimentos sobre democracia participativa, gestão sustentável de cidades e desenvolvimento sustentável, o Goiana em Ação definiu quatro temas prioritários para atuar – Educação, Turismo, Cultura e Emprego e Renda. Os temas foram escolhidos nos primeiros seis meses de criação do Projeto, que contou com a participação  de 166 pessoas. Nesses encontros foram definidos os princípios e valores do grupo; levantadas as informações para definição dos temas prioritários, incluindo a análise dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Organização das Nações e Unidas, e a aplicação do Índice de Progresso Social (IPS). “É importante termos iniciativas como essa, principalmente no momento atual de desenvolvimento que Goiana vive. É um espaço que todos podem dialogar de igual para igual. Agora ele tem que crescer e contar com a participação de mais pessoas”, pontua Edivaldo de Oliveira, mais conhecido como Peu do Maracatu, presidente da Associação de Caboclinhos e Índios de Pernambuco e integrante do Fórum.   

O próximo passo é a elaboração do Plano de Ação, que terá validade em 2018 e 2019. Para isso, estão sendo utilizados como referência os ODS e o IPS.  Após esse período, os integrantes  avaliarão o andamento e estágio de implementação das iniciativas propostas e realizarão um novo planejamento para o próximo ciclo anual do Fórum. 

Sobre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável

Aprovados em 2015 e com 195 países signatários, os ODS são um conjunto de 17 objetivos e 169 metas, cujo maior sonho a ser perseguido é acabar com a pobreza até 2030 e promover universalmente a prosperidade econômica, o desenvolvimento social e a proteção ambiental. Embora de natureza global e universalmente aplicáveis, os ODS dialogam com as políticas e ações nos âmbitos regional e local (municípios). Os ODS sucedem e atualizam os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) e a sua implementação é um desafio que requer a parceria da sociedade civil, do setor privado e dos governos, com destaque para os municípios. 
Segundo a Rede Brasileira de Cidades Sustentáveis, na América Latina, o Brasil é o país mais urbanizado, resultado de um intenso processo de estruturação das cidades iniciado na década de 1950, que provocou a concentração de 86,53% de sua população nas áreas urbanas. Segundo a Rede, “os municípios concentram os mais graves problemas globais como pobreza, desigualdade social, poluição, dificuldades de mobilidade, falta de saneamento básico, habitações precárias, violência e impacto das mudanças climáticas. Nesta lógica, se é nas cidades que os problemas globais se manifestam, é também nelas que se concentram os recursos humanos, tecnológicos e políticos necessários para superá-los”.

Em vista dessa realidade, o Goiana em Ação, que foca a sua atuação na cidade de Goiana, sede e seus distritos, optou por ter como norte os objetivos e metas dos ODS. 

Sobre o Índice de Progresso Social 

Coordenado no Brasil pela Fundação Avina, o IPS é uma ferramenta de mudança social cristalizada em torno da identificação de eixos prioritários de trabalho para o desenvolvimento territorial.  O IPS Goiana foi o primeiro a ser aplicado no Nordeste e consistiu na adaptação do IPS para a construção de indicadores customizados para o município, a partir da aplicação, pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) de uma pesquisa com questionários domiciliares adaptados, com o objetivo de levantar as demandas socioambientais por parte dos moradores da sede (centro) e de outros quatro distritos de Goiana (Tejucupapo, Carne de Vaca, Ponta de Pedras e São Lourenço), para posterior priorização pelo Fórum de Desenvolvimento Sustentável de Goiana na hora de elaboração do plano de ação.  

O índice se baseia em 3 pilares: necessidades humanas básicas, fundamentos do bem-estar e oportunidades. Para chegar ao resultado de 48,94 em Goiana, foram visitados mais de 800 domicílios. O IPS revelou uma situação de grande disparidade na cidade quando são comparados os distritos com a sede. Por causa da alta concentração populacional na sede, o índice do município como todo é mais alto do que o resultado específico dos distritos. Segundo a pesquisa, os melhores indicadores foram os relativos à acesso à água e a moradia. No entanto, ficaram com os piores indicadores os itens de segurança pessoal e qualidade do meio ambiente.

Saiba mais sobre o Índice de Progresso Social em www.socialprogress.org

Sobre o Polo Automotivo Jeep

Prestes a completar três anos de operação, o Polo Automotivo Jeep emprega atualmente 13.600 pessoas em três turnos de trabalho, entre planta principal e Parque de Fornecedores, formado por outras 16 empresas. O Polo é responsável pela produção dos Jeep Renegade e Compass e pela picape Fiat Toro e pelo abastecimento do mercado interno e da América Latina. Concebido nas bases da indústria 4.0, representa a planta mais moderna do grupo FCA no mundo. Suas inovações e ações vão além da tecnologia e estão presentes também na sustentabilidade. Primeira indústria a alcançar o selo de Carbono Neutro, a planta trabalha com aterro zero e seu processo produtivo faz o reuso de 99,4% da água utilizada. 

Tendo a educação como um dos pilares de atuação social do grupo, A FCA também está presente na região com o programa Rota do Saber. A iniciativa tem como objetivo a melhoria do ensino fundamental público através da capacitação de professores e gestores da rede municipal. Atualmente, o programa está presente em seis municípios da região, beneficiando 205 escolas, 967 mil educadores e impacta diretamente 27 mil alunos. O Rota do Saber é uma iniciativa da FCA em parceria com a Magneti Marelli, empresa que integra o grupo, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Instituto Qualidade do Ensino – IQE.

Sobre a Klabin  

A Klabin, maior produtora e exportadora de papéis do Brasil, é líder na produção de papéis e cartões para embalagens, embalagens de papelão ondulado e sacos industriais. Fundada em 1899, possui 17 unidades industriais no Brasil e uma na Argentina. Está organizada em quatro unidades de negócios: Florestal, Celulose (fibra curta, fibra longa e fluff), Papéis (papel cartão e papel kraft) e Embalagem (papel reciclado, papelão ondulado e sacos industriais).  

Toda a gestão da empresa está orientada para o Desenvolvimento Sustentável, buscando crescimento integrado e responsável, que une rentabilidade, desenvolvimento social e compromisso ambiental. A Klabin integra, desde 2014, o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE), da BM&FBovespa. Também é signatária do Pacto Global da ONU e do Pacto Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo, buscando fornecedores e parceiros de negócio que sigam os mesmos valores de ética, transparência e respeito aos princípios de sustentabilidade.  

Saiba mais: www.klabin.com.br

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-