sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Economia: Jeep contribui para recorde nas exportações de Pernambuco

Em 2017, vendas externas registraram recorde de US$ 1,9 bilhão

O ano de 2017 vai ficar marcado na história do comércio internacional de Pernambuco. Ano em que as exportações alcançaram recorde de US$ 1,9 bilhão, crescendo 38,4% em relação a 2016. O feito foi alcançado graças à montadora FCA/Jeep, que acelerou as vendas externas e desbancou a Petrobras do topo do ranking das maiores exportadoras do Estado. Com o avanço, a companhia responde por 37,5% da pauta pernambucana e tende a se manter na liderança com a retomada da atividade econômica no País.

“O avanço da Jeep contribuiu para o recorde nas exportações do Estado, além de contribuir para consolidar a pauta com produtos de maior valor agregado. O resultado de US$ 1,96 bilhão nas vendas externas é o maior da história pernambucana, perdendo apenas para 2013 quando alcançou US$ 1,99 bilhão. Mas consideramos 2017 como o recorde, porque 2013 foi um ponto fora da curva, por conta da exportação de uma plataforma do Estaleiro Atlântico Sul que saiu para o Panamá para registro e voltou para o Brasil”, recorda o Gerente de Desenvolvimento Empresarial da Federação das Indústrias de Pernambuco (Fiepe), Maurício Laranjeiras.

Por meio de sua assessoria de comunicação, a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) diz que saíram 17 mil Fiat Toro e 19 mil Renegades do Polo Automotivo de Goiana para atender o mercado internacional. O foco da empresa é a América Latina, tendo como principais mercados Argentina, México, Chile, Paraguai e Peru.

Além dos dois modelos produzidos na fábrica local, a montadora também exporta pelo Porto de Suape outros automóveis da Fiat. No ano passado, a empresa foi responsável por 83,6% da movimentação de veículos em Suape. Quase metade das exportações do grupo no Brasil saiu por Pernambuco.

“A FCA encerrou 2017 com o melhor resultado em exportações de veículos de sua história. A empresa embarcou do Brasil para o exterior mais de 145 mil veículos ao longo, com uma expansão de 55% em relação ao ano anterior. Os principais mercados de destino foram Argentina, México, Chile e outros países latino-americanos. Este é o melhor desempenho em exportações de veículos desde a instalação da Fiat no Brasil, em 1976. O maior volume exportado anteriormente foi registrado em 1989, ano em que a Fiat embarcou 106.870 veículos completos principalmente para a Europa”, comemora a companhia.
AMÉRICA LATINA

Em 2017, o foco estratégico da montadora foi a expansão para a América Latina. Os modelos mais vendidos foram Fiat Mobi (29 mil unidades exportadas), Fiat Strada (22,6 mil), Jeep Renegade (19 mil), Fiat Toro (17 mil) e Fiorino (15,7 mil). “O esforço exportador, baseado em uma gama renovada de produtos de classe mundial e no fortalecimento da presença comercial em diversos países, vai ser intensificado em 2018. O tradicional intercâmbio comercial com a Argentina vai ser reforçado, ao mesmo tempo em que a ofensiva aponta para conquistar novas fatias de participação em mercados importantes como México, Chile, Peru, Colômbia e outros latino-americanos”, adianta a montadora.

“Podemos dizer que esse é o melhor momento para o comércio exterior de Pernambuco, porque não se trata de um crescimento artificial, como aconteceu com a exportação da plataforma. Estamos falando de uma pauta mais consolidada com participação de uma empresa importante como a Jeep, que tende a aumentar a produção com a recuperação e aumentar sua participação no mercado internacional a partir de Pernambuco”, acredita Laranjeiras.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-