domingo, 12 de março de 2017

Goiana: Audiência pública vai discutir situação de abandono da Hemobrás

A paralisação das obras da fábrica da Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia (Hemobrás), localizada em Goiana (Mata Norte), foi relembrada pela deputada Priscila Krause (DEM), no Grande Expediente desta quarta (8). Ela solicitou uma audiência pública para debater o tema na Alepe e defendeu a importância de trazer o investimento, de fato, para o Estado.

A deputada leu na tribuna a íntegra do editorial “Sangria Orçamentária”, publicado pela Folha de S.Paulo no último dia 21 de fevereiro. O texto destaca que as obras da fábrica já consumiram R$ 1 bilhão, mas estão paralisadas desde dezembro de 2015, quando a Polícia Federal deflagrou operação para investigar desvio de dinheiro público na estatal federal.

“Hoje, nós escutamos apenas ‘silêncio’ sobre esse assunto de tamanha importância, inclusive do Governo Estadual. Qual é a posição dessa gestão em relação ao que acontece na Hemobrás? Essa inércia traz riscos para a permanência desse investimento em nosso Estado”, argumentou.

Priscila solicitou que a audiência pública sobre a fábrica seja feita pela Comissão de Saúde. “Um excelente corpo técnico está sendo desperdiçado. A Hemobrás é uma ‘refinaria de sangue’, que aponta para novas tecnologias do futuro. Não gostaria de ver pela segunda vez as ruínas de uma refinaria em nosso Estado”, considerou.

No texto, o jornal paulista afirmou, ainda, que a Hemobrás está “inexplicavelmente instalada em Pernambuco, longe das maiores fontes de matérias-primas”. A deputada considerou que, apesar de trazer muitas informações “lamentáveis e verdadeiras”, o editorial apresentou viés contrário ao desenvolvimento do Estado. “Há 40 anos, Pernambuco criou um centro de referência no ensino, pesquisa e produção de hemoderivados no Brasil, o Hemope. Isso fulmina o argumento de que a vinda da Hemobrás para cá é ‘inexplicável’”, acrescentou.

A parlamentar considerou que a instalação da Hemobrás se deve principalmente ao trabalho pioneiro do médico Luiz Gonzaga dos Santos no Hemope. Ela também destacou os esforços do ex-governador Jarbas Vasconcelos e seu secretário de Saúde, Guilherme Robalinho, para trazer o empreendimento. “Eles convenceram o então ministro da Saúde, José Serra, de que a fábrica deveria vir para Pernambuco, contrariando interesses do Estado de São Paulo de receber essa planta industrial”, ressaltou.

Em apartes, Terezinha Nunes (PSDB) e Odacy Amorim (PT) concordaram com a ideia da audiência pública. A deputada tucana parabenizou Priscila Krause “pelas informações de que dispõe e pela contundência com que discursou”. Amorim realçou que a Hemobrás “é de uma importância incalculável” e não deveria estar exposta a uma “ciumeira política entre regiões”.

VozdoPlanalto
 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-