terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Infraestrutura: Nova linha de energia para a fábrica da Jeep, em Goiana

Estado contrata empresa para fazer o projeto executivo e a obra

O governo do Estado deu a ordem de serviço para a construção de um sistema de transmissão que inclui uma linha de transmissão de energia em alta tensão ( 230 KV) que terá 32 quilômetros de extensão e a finalidade de melhorar a oferta de energia para o polo automotivo de Goiana, na Mata Norte do Estado. O investimento é de R$ 71,5 milhões e será bancado pelo Estado.

A implantação de um sistema de linhas de transmissão de energia em alta tensão era uma das principais contrapartidas do Governo para a instalação da fábrica da Jeep, em Goiana. É a terceira licitação que o Estado fez para fazer esse sistema. As duas primeiras deram errado, porque, entre outras coisas, a construção de linhas de transmissão é um tipo de obra muito específica.

CONSÓRCIO
A vencedora da licitação foi o Consórcio ATP Soluções em Energia Ltda, liderado pela empresa pernambucana ATP Engenharia que fez o acesso à cidade da Copa, entre outras coisas. No primeiro momento, o consórcio a fazer o projeto executivo, o qual deve ser concluído num prazo de até 90 dias.

“As obras devem começar entre março e abril de 2017 e serem concluídas no segundo semestre de 2018”, afirma o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Thiago Norões. Inteiro, o projeto tem um prazo de execução de 16 meses e o contrato possui uma vigência de 23 meses.

Inaugurada em abril de 2015, a montadora produz três carros: o Renegade, o Toro e o Compass. A montadora não pode receber mais energia, porque a atual linha de transmissão em alta tensão já está no limite, segundo Norões. Todas as grandes empresas só recebem energia em alta tensão.

Além da linha de transmissão, o sistema de abastecimento de energia prevê a instalação de duas subestações, além de serviços de adequação na subestação de Pau Ferro, em Igarassu, que pertencente à Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf).

Outra contrapartida do Estado para atrair a fábrica da Jeep era a construção do Arco Metropolitano, uma alça viária que ligaria a Mata Norte a Suape, no Litoral Sul, sem passar pela congestionada BR-101. Inicialmente, essa estrada seria feita pelo governo do Estado com recursos da União, depois a implantação passou a ser de responsabilidade do governo federal. Até hoje, a rodovia não saiu do papel.

Jornal do Commercio

0 Comentários:

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-