sexta-feira, 27 de maio de 2016

Educação: Capacitação de mão de obra em cursos técnicos para o Polo Vidreiro de Goiana

A proposta de criar uma disciplina de formação e qualificação de vidraceiros dentro da grade curricular dos cursos técnicos da Rede Estadual de Ensino foi apresentada pela Associação das Empresas do Polo Pernambuco-Paraíba (AEP) ao secretário de Educação, Frederico Amâncio. O encontro foi realizado nesta semana na sede da Secretaria, no Recife, e promovido pela Comissão de Desenvolvimento Econômico da Alepe. A proposta é liderada pela empresa Vivix Vidros Planos, instalada em 2014 no município de Goiana, na Mata Norte.

A diretora executiva da AEP, Margareth Bezerra, explicou ao secretário que o objetivo é capacitar a mão de obra da região para atender à cadeia produtiva do vidro em Goiana, além de aprimorar a prestação de serviços no setor em Pernambuco. “Queremos expandir o Projeto Vidraceiros que já temos em parceria com o Senai, onde criamos um centro de referência de formação na área no Nordeste. É uma oportunidade para quem busca um novo emprego e para qualificar quem já trabalha com isso”, destacou.

O Projeto Vidreiros teve início este ano nos municípios de Itapissuma e Jaboatão dos Guararapes. Ao todo, 400 pessoas devem passar pelo curso de capacitação no Senai. Para o presidente da Vivix, Paulo Drummond, o setor da construção civil, que absorve a produção de vidros, é o que mais gera emprego e o primeiro ser retomado com o crescimento da economia. “O ponto de partida para acelerarmos essa retomada de crescimento é ter gente capacitada”, pontuou.

O secretário Frederico Amâncio disse estar aberto ao diálogo e encaminhou a questão ao secretário executivo de Educação das Escolas de Tempo Integral, Paulo Dutra, que também participou do encontro. “Acho importante ouvir as demandas das empresas para adequarmos as grades curriculares e os cursos oferecidos em cada região”, disse Amâncio. O secretário destacou que há atualmente duas escolas técnicas em construção em municípios próximos ao polo vidreiro: Abreu e Lima e Igarassu. De acordo com ele, essas escolas também poderiam incorporar a proposta das empresas. Amâncio ainda disponibilizou o uso do espaço físico de escolas técnicas que estejam com turmas ociosas.

Para o presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Aluísio Lessa (PSB), o encontro teve resultados positivos. “Essa é uma demanda que surgiu a partir da nossa visita à fábrica da Vivix, no final do mês de abril. Vamos seguir acompanhando e apoiando a iniciativa de suprir esse gargalo que existe hoje”, afirmou.

Fonte: Alepe

1 Comentários:

MARCELO FEITOSA DA SILVA disse...

Infelizmente,lá só por indicação eu trabalhei e sofri muito pela oportunidade que não mim deram na área de química

Postar um comentário

Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Blog do Anderson Pereira.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-