domingo, 3 de abril de 2016

Saúde: Falta vacina contra H1N1 em clínicas particulares do Recife

Alta procura pelo produto levou ao esgotamento de forma inesperada. Foto: Guga Matos/JC Imagem

Nas clínicas particulares, começa a faltar a vacina contra gripe com cepas atualizadas para 2016. Nas unidades da Vaccine, não há mais a trivalente e nem a quadrivalente (com três e quatro tipos de cepas de vírus influenza em combinação, respectivamente). A unidade da clínica no bairro do Espinheiro, Zona Norte do Recife, recebeu na quarta-feira (30) pelo menos 150 pessoas que tomaram a vacina contra gripe. O tempo de espera dos clientes chegava a uma hora e meia. A trivalente custa R$ 90; e a tetravalente, R$ 110.

"A previsão é que novos lotes cheguem entre a quarta e a quinta-feira da próxima semana. Estávamos com dois mil lotes nas seis unidades da rede, mas acabaram rapidamente devido à procura.  Pelo fato de as pessoas saberem que a vacinação é a principal forma de se evitar a gripe, é natural se observar aumento na procura pela vacina em épocas com aumento de casos”, diz o pneumologista Antônio Aguiar Filho, diretor da Vaccine.

A vacina trivalente protege contra três tipos de cepas: H1N1, H3N2 e uma cepa B. O diferencial da quadrivalente é que ela imuniza contra H1N1, H3N2 e duas cepas B.

As contraindicações são para quem tem histórico de choque anafilático por ovo e hipersensibilidade a algum dos componentes da vacina, além do público que estiver com febre moderada ou grave, que deve esperar a melhora do quadro.

Vale frisar que a vacina contra gripe é recomendada para todas as crianças a partir dos 6 meses. Quando administrada pela primeira vez em crianças menores de 9 anos, aplicar duas doses com intervalo de 30 dias.
JCOnline

0 Comentários:

Postar um comentário

Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Blog do Anderson Pereira.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-