segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Alerta: Nova doença associada ao Aedes aegypti, a miosite pode causar paralisia do corpo

Especialistas alertam para expansão da doença autoimune

Primeiro foram os casos da Síndrome Guillain-Barré relacionados ao zika, em abril do ano passado. Em novembro, surgiu a microcefalia em bebês, cujas mães tiveram esse vírus. Agora, uma terceira ameaça: a miosite, relacionada a outra virose também transmitida pelo Aedes, a febre chikungunya. E com uma morte. O óbito foi o da índia xucuru, Danielle Marques Santana, 17 anos, moradora de Pesqueira, que faleceu no último dia 6 no Hospital da Restauração. O caso acendeu o alerta entre os especialistas, pois é o primeiro registro brasileiro de miosite, uma rara doença autoimune.

Até então, a literatura médica só tinha descrito quatro casos dessa infecção relacionados à chikungunya. Foram registrados na Índia, entre 2013 e 2014 - dois pacientes sobreviveram e dois morreram. Chefe do setor de Neurologia do HR, Lúcia Brito acredita que haverá um aumento de ocorrências da miosite relacionada à febre, devido a maior predominância de casos dessa arbovirose em 2016 - neste ano, só nos primeiros 15 dias de janeiro, a Secretaria Estadual de Saúde notificou 701 casos da virose em 69 municípios.

Por isso, ressaltou a neurologista, é necessário sensibilidade dos médicos no diagnóstico que pode ser confundido com Síndrome Guillian-Barré (SGB). “A miosite é uma inflamação muscular aguda. Essa é uma condição rara. E agora dá um alerta da possibilidade delas junto a essas viroses”, alertou.

O infectologista e membro do Comitê Técnico da Dengue e Chikungunya do Ministério da Saúde, Carlos Brito, compartilha dessa opinião. “O caso da índia mostra o quanto a chikungunya está em expansão. E quanto é importante ficar em alerta pois novos casos devem surgir. E sabemos que as complicações raras surgem quando as doenças aumentam sua frequência”, ressaltou Brito.

A doença

A miosite não é exclusividade da chikungunya e pode acontecer por outras infecções musculares ou de vasos sanguíneos. Ela é uma doença autoimune, ou seja uma resposta exagerada do sistema imunológico ao vírus. A reação dele acomete os músculos. Tem sintomas semelhantes à Guillain-Barré. Nas duas pode acontecer a dificuldade motora e dos músculos da respiração.

Ambas podem levar à morte se o diagnóstico e tratamento não forem rápidos. As diferenças são que a miosite acomete os músculos e existe uma produção exacerbada de enzimas musculares no líquido da coluna espinhal. Na Guillain, o líquido aponta o excesso de proteínas e o dano é aos nervos. O tratamento da miosite é com corticoides. Já a síndrome, com imunoglobulina. Como a miosite é uma doença relativamente nova, não há descrição de taxa de mortalidade nem definição padrão para fatores de risco. Acredita-se que pessoas com imunidade baixa, doenças genéticas e idosos possam ser mais suscetíveis.

Alerta

Apesar da relação estabelecida da chikungunya com a miosite, não está descartado que a febre também possa provocar outras doenças neurológicas, como a Guillain-Barré. Por isso, todos, sejam médicos ou a comunidade devem ficar atentos a sinais após quadros virais. Paralisia da face, dos membros, déficit motor, falhas de memória e/ou alterações de humor são sinais de alerta.

FolhaPE

6 Comentários:

Ítalo Tavares Tavares disse...

tantos vírus aparecendo um em cima do outro, isso já deve ser o início do projeto da nova ordem mundial.

Nanal Movick disse...

Sò pode ter vindo do inferno uma disgraça dessa!!!

mario silva disse...

São ás profecias de Deus se cumprindo,a segunda vinda de Jesus ta proximo

Leu Fonseca disse...

O homem não teme mais a Deus, as profecias se cumprindo.

fernanda monteiro disse...

Mateus capitulo 24 lucas capitulo 7
erra o homem em não conhecer as escrituras. marcos 12.24

Joao Jose Alves Pessoa disse...

São as santas escrituras se cumprindo na íntegra. Mais ainda não é o fim, são o princípio das dores. Mateus 24.8

Postar um comentário

Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Blog do Anderson Pereira.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-