sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Sem dinheiro?: Prefeitura de Goiana alega falta de recursos para pagar salários de funcionários em dia

Com informações do BlogdoFelipeAndrade

Apesar de nos últimos três anos a Prefeitura de Goiana bater recordes de arrecadação, a desculpa utilizada pela atual gestão para justificar o atraso no pagamento dos servidores e aposentados é a falta de dinheiro.

Durante os três anos da gestão de Fred Gadelha (PTB) já entraram nos cofres da Prefeitura de Goiana mais de R$ 450 milhões. No entanto, todo esse montante, quase meio bilhão de reais, não foram suficientes para manter a folha de pagamento em dia.

Nesta quinta-feira (7), um representante da Prefeitura, durante participação em um programa de rádio, afirmou que o pagamento dos servidores da Secretaria Municipal de Educação e dos aposentados, referente ao mês de dezembro, será efetuado nesta sexta-feira (8). Já os demais servidores só receberão seus salários na semana que vem, em data ainda não definida. Segundo o representante da Prefeitura, o atraso no pagamento se deve a falta de recursos. Ele ainda lembrou que existem municípios em situação pior que a de Goiana, mas esqueceu de citar as cidades que mesmo não recebendo um montante semelhante ao de Goiana, estão cumprindo com suas obrigações.

Nenhuma das desculpas parece convencer os servidores que estão com os seus salários atrasados. O Blog do Felipe Andrade entrou em contato com o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Goiana (Sinsepumg), que manifestou alívio com o pagamento de parte dos servidores e dos aposentados, mas, também, indignação diante do atraso salarial de grande parte dos trabalhadores.

O Sinsepumg cobra mais transparência em relação a arrecadação da Prefeitura de Goiana. De acordo com o sindicato, é necessário que a gestão dê publicidade a evolução da receita ou a diminuição da mesma.

1 Comentários:

Postar um comentário

Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Blog do Anderson Pereira.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-