segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Teatro: Entrada gratuita para Quebradeiras de Coco Babaçu do Maranhão no Sesc Ler Goiana

Pela quarta vez somente esse ano, o Sonora Brasil – Formação de ouvintes musicais chega em Goiana e nesta quarta, dia 18 de novembro, a partir das 20h, o Teatro Historiador Antonio Corrêa de Oliveira, do Sesc Ler Goiana, será palco para a apresentação das Quebradeiras de Coco Babaçu do Maranhão, com entrada franca.

Em sua 18ª edição, o Sonora Brasil apresenta o tema "Sonoros Ofícios – Cantos de trabalho" tema que em 2015 com a participação de quatro grupos musicais, e aborda exemplos de prática de cantos de trabalho ainda vigentes em alguns Estados, com predomínio da região Nordeste.

O projeto busca despertar no público um olhar crítico sobre a produção e sobre os mecanismos de difusão de música no Brasil, incentivando novas práticas e novos hábitos de apreciação musical, promovendo apresentações de caráter essencialmente acústico, que valorizam a pureza do som e a qualidade das obras e de seus intérpretes.

O Grupo
O grupo é formado por oito mulheres que trabalham na quebra do coco babaçu desde a infância e hoje também exercem o importante papel de liderança na defesa e valorização do trabalho das quebradeiras, na preservação e na garantia de acesso às áreas de ocorrência da palmeira do babaçu.Sua formação reflete a abrangência geográfica do trabalho desenvolvido pelo Movimento das Quebradeiras contando com a participação de representantes das seis regiões onde a instituição possui representação. São elas: Dora, Moça e Silena, de Lago do Junco (MA); Nice, de Penalva (MA); Dijé, de São Luís Gonzaga (MA); Iracema, de São Domingos do Araguaia (PA); Francisca Lera, de Esperantina (PI); e Nonata, de São Miguel (TO).

Serviço:
Sonora Brasil “Quebradeiras de Coco Babaçu”
Dia 18 de novembro,  às 20h
Teatro do SESC LER GOIANA
Gratuito

Assessoria

0 Comentários:

Postar um comentário

Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Blog do Anderson Pereira.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-