domingo, 6 de setembro de 2015

Violência: Passeando de moto com a noiva, policial militar é assassinado em Carpina


ATENÇÃO! HAVERÁ A SEGUIR IMAGENS DO LOCAL DA OCORRÊNCIA.
SÃO CENAS FORTES E NÃO DEVEM SER VISTAS E NEM COMPARTILHADAS POR MENORES E PESSOAS SENSÍVEIS
Um policial militar foi assassinado no município de Carpina, na Mata Norte de Pernambuco. O PM estava na companhia da noiva, quando foi abordado por dois bandidos. O crime aconteceu no início da noite deste sábado. De acordo com a Polícia Militar de Pernambuco, o soldado Elias Félix da Silva Filho, de 31 anos, foi vítima de uma tentativa de assalto na Rodovia PE-41, nas proximidades do Motel Caribe, no Bairro Novo. O policial, lotado no Grupo de Apoio Tático Itinerante (Gati) do 2º Batalhão de Polícia Militar, seguia de moto no sentido Araçoiaba e teria reagido, atirando contra um dos criminosos, que morreu no local. O soldado que foi atingido por três disparos de arma de fogo, chegou a ser socorrido para a Unidade Mista de Carpina e de lá para o Hospital da Restauração (HR) no Recife, onde não resistiu aos graves ferimentos e morreu.

O outro assaltante conseguiu escapar pelo mato em uma motocicleta prata com placa de Paudalho. Câmeras do hotel filmaram a fuga do assassino, que foi procurado durante noite e madrugada nos municípios de Carpina, Paudalho e Tracunhaém. Identificado pela polícia como Gleibson Florentino Pessoa, de 23 anos, conhecido como "Hominho" ou "Quatro Pés", ele foi preso nas terras da cerâmica de Murilo, zona rural de Paudalho. Com ele foi apreendido um adolescente de 16 anos, além de dois revólveres calibre 38 com 13 munições intactas. Segundo a PM, uma delas teria sido utilizada no latrocínio que vitimou o soldado.

Durante as deligências, a irmã e o cunhado do Gleibson também foram detidos. Dayseane Fernando Pessoa e Moisés Magno da Silva Balbino, segundo a polícia, teriam patrocinado a fuga do assaltante. Todos foram autuados na Delegacia de Plantão de Nazaré da Mata. A noiva do PM não ficou ferida. O corpo do soldado Félix Filho será sepultado, às 16h, no cemitério São Sebastião, em Carpina.

Outros crimes - No final de semana passado, outros dois policiais foram assassinados. No sábado, a policial civil de Porto de Galinhas, Tatiana Ribeiro de Melo, reagiu a um assalto e acabou baleada e morta, em Abreu e Lima. Tatiana estava dirigindo, quando foi abordada por dois homens em uma moto. Ela foi encaminhada para o Hospital Miguel Arraes, em Paulista, mas não resistiu aos ferimentos.

Durante a ação, a policial atirou em um dos assaltantes. Álvaro Henrique de Carvalho foi baleado no tórax e encaminhado para o Hospital Miguel Arraes, onde foi submetido a uma cirurgia, perdendo parte do pulmão. O outro suspeito foi preso. Thiago José Otaviano da Silva, o "Thiago de Dedé", como é conhecido, foi abordado em Paulista, no bairro de Paratibe, perto de onde morava.

No domingo passado, em Apipucos, no Recife, um policial militar, do banco de trás da viatura, matou um colega de trabalho, o cabo do 11º Batalhão da Polícia Militar, Adriano Batista, de 42 naos. A vítima levou um tiro na cabeça enquanto dirigia a viatura da Patrulha do Bairro Guabiraba/Pau Ferro. O disparo foi efetuado pelo colega de plantão, o soldado Flávio Oliveira da Silva, 32, que estava no banco de trás do carro, durante uma discussão sobre cotas raciais. O crime ocorreu por volta das 8h na Rua João Batista de Rego Barros, bairro de Apipucos, Zona Norte do Recife. Adriano Batista chegou a ser socorrido para o Hospital da Restauração, mas não resistiu ao ferimento. Era o último plantão dele antes de entrar de férias. O soldado foi preso.

Nota - O comando Geral da Policia Militar de Pernambuco divulgou uma nota sobre a morte do PM.
“Na noite de ontem (05), por volta das 20h, na região central do município de Carpina, Mata Norte do Estado, dois homens anunciaram um assalto contra o policial militar soldado Elias Félix da Silva Filho, 31, que reagiu a investida covarde atirando contra um dos criminosos, que veio a óbito. Na ação, um dos assaltantes fugiu em uma moto e o policial foi atingido com disparos de arma de fogo na região do ombro e tórax, sendo socorrido para unidade Mista da região pelas equipes do SAMU e da PM da cidade, de onde foi transferido em estado grave para o Hospital da Restauração. Apesar de todo esforço das equipes médicas, o policial militar não resistiu aos ferimentos. 
O comando geral da PMPE enaltece a bravura e o compromisso do soldado Félix Filho que, mesmo de folga, não se distanciou daquela que foi sua maior missão: PROTEGER E SALVAR VIDAS. Desenvolvendo as atividades policiais militares no Grupo de Apoio Tático Itinerante (GATI), do 2º Batalhão, que tem sede em Nazaré da Mata, e reconhecido pelos colegas de trabalho como um profissional leal, compromissado e que envergava um amor incondicional pela profissão, que abraçou durante seis anos. 
Neste pesar, o comando da Corporação se solidariza com familiares, parentes e amigos, entre eles policiais militares, tendo determinado ao comando do 2º Batalhão total empenho de seus policiais militares na continuidade das diligências, que já resultaram nas prisões de dois suspeitos, um maior e outro menor, de terem participado do crime. Com  as prisões será possível esclarecer como ocorreu o episódio e, diante da instrução criminal, não restar dúvidas sobre a imediata prisão e apreensão dos envolvidos, caso a caso. 
O corpo do soldado Félix Filho será sepultado, às 16h, no cemitério São Sebastião, em Carpina.”
Com informações do DiariodePernambuco


ATENÇÃO! HAVERÁ A SEGUIR IMAGENS DO LOCAL DA OCORRÊNCIA.
SÃO CENAS FORTES E NÃO DEVEM SER VISTAS E NEM COMPARTILHADAS POR MENORES E PESSOAS SENSÍVEIS


VÍTIMA

BANDIDOS

2 Comentários:

manga rosa disse...

Umas desgraça dessa ainda ta viva tirou a vida de um cidadão de bem independente q seja um policial ou não e pra mata um mizera desse rapaz

ASSIS disse...

DESGRAÇADO, QUE TEM QUE PRENDER ESSE LIXO É O COVEIRO

Postar um comentário

Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Blog do Anderson Pereira.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-