domingo, 23 de agosto de 2015

Mata Norte: Canavieiros reivindicam salário de R$ 950‏

Delegados e Delegadas Sindicais da Zona da Mata de Pernambuco elaboraram, neste final de semana, no município de Carpina, a proposta de Pauta da 36ª Campanha Salarial dos Canavieiros e Canavieiras. Os debates ocorreram durante o 22º Congresso da Categoria, promovido pela Fetape e seus Sindicatos filiados na região. Entre as reivindicações estão o salário-base de 950,00 (hoje  é de R$ 802,00)e o piso de garantia de R$ 60,00.

Os mais de 300 participantes da atividade se organizaram em grupos para trabalhar as  cláusulas sociais e econômicas da pauta.  Além da questão salarial foram pontuados itens como reajuste da cesta básica, alimentação decente no local de trabalho, transporte seguro para os canavieiros e canavieiras, alterações na tabela de tarefas, doação de terras para habitação rural, contrato de trabalho por tempo indeterminado e  combate ao uso de agrotóxicos.

As propostas apresentadas visam contribuir para “o trabalho digno para quem produz riqueza no campo”, tema escolhido para a Campanha Salarial deste ano. Embora a categoria tenha avançado em muitas áreas, a partir das lutas do Movimento Sindical Rural, nas 35 Convenções Coletivas, os dirigentes e delegados avaliam que ainda há muitos desafios a serem enfrentados para que haja avanços nos direitos trabalhistas e sociais de assalariados e assalariadas do setor sucroalcooleiro.

O Congresso foi um momento estratégico para que os participantes analisassem a conjuntura e percebessem os desafios e possibilidades existentes. Mesmo percebendo a necessidade de se fortalecer o trabalho assalariado na Zona da Mata, o Movimento Sindical Rural não deixa de lado a necessidade de que o Governo implemente um conjunto de medidas que possibilitem a reestruturação socioprodutiva  da região.

A atividade contou, ainda, com a presença de representantes da Contag, Dieese, CUT, CTB,  de Sindicatos que atuam com assalariados rurais no Sertão pernambucano, da Federação de Alagoas e de um Sindicato daquele estado.

Próximo passo – A etapa seguinte  é a aprovação da pauta de reivindicações,  no dia 13 de setembro,  durante Assembleias em todos os Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais da Zona da Mata. Logo após, a classe patronal será notificada, para que ocorra o agendamento do processo de negociação. A data-base da categoria é 1º de outubro.

“Depois do rico debate ocorrido durante este Congresso, e da aprovação da nossa pauta, no próximo dia 13, durante as assembleias, tenho certeza que o Movimento Sindical Rural estará fortalecido na mesa de negociação com a classe patronal. Vamos ter, com certeza, muitos avanços nesta campanha!”, afirma o diretor de Política Salarial da Fetape, Gilvan José Antunis.

Preparação

No dia 23 de julho, o Movimento Sindical Rural realizou o Encontro em Preparação à 36ª Campanha Salarial, também em Carpina, que contou com a parceria do Dieese. Na ocasião, os dirigentes sindicais aprofundaram  questões subsidiarão o processo de negociação com a classe patronal.

O cenário positivo do álcool, o aumento da produção e a previsão de algumas usinas voltarem a funcionar foram algumas das questões destacadas, na perspectiva de mostrar a importância dos trabalhadores e trabalhadoras assalariados para a região.

Conquistas do ano passado

Em 2014, após sete rodadas de negociações da 35ª Campanha Salarial dos Canavieiros e Canavieiras de Pernambuco, a categoria conquistou um salário de R$784 (Reajuste de 8% acima da inflação), um piso de garantia de R$ 14, e um valor de cesta básica de R$ 30. Além disso, foram assegurados direitos sociais fundamentais alcançados em convenções anteriores.
Assessoria de Comunicação

0 Comentários:

Postar um comentário

Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Blog do Anderson Pereira.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-