segunda-feira, 17 de agosto de 2015

E nada de salário: Após bloqueio da BR-101, profissionais do HRBC continuam em greve em Goiana

Protesto interditou BR-101 em Goiana na sexta (14) e provocou engarrafamento de 4 km

Profissionais de saúde do Hospital Regional Belarmino Côrreia (HRBC), em Goiana, na Zona da Mata Norte de Pernambuco, continuam em greve após protesto que interditou a BR-101, na entrada da cidade, na tarde da última sexta-feira (14). Técnicos de enfermagem e enfermeiros entraram em greve na última quarta-feira (12) como forma de protesto contra a falta de pagamento dos salários e o descaso das autoridades em relação às condições de trabalho. De acordo com informações dos funcionários, eles estão com os salários atrasados há três meses, referente aos meses de maio, junho e julho. Sem dinheiro, alguns deles tiveram que retirar os filhos das escolas, foram despejados das casas onde moravam e estão passando por necessidades.

Como não houve o pagamento de seus salários, os protestos continuaram durante a semana, e na última sexta (14), aproximadamente cinquenta profissionais do HRBC interditaram as duas vias da rodovia federal durante quatro horas, queimando pneus e entulhos.

"O caso é mais grave do que as pessoas pensam, pois além de não recebermos nossos salários dos últimos três meses, estamos trabalhando com poucas condições, não temos adicional noturno e nem insalubridade, e ficamos expostos à todos os tipo de doenças. O hospital está com todas as ambulâncias desativadas, sobrecarregando o Samu, que está fazendo todas as transferências do município. Ou seja, se tiver um acidente grave em Goiana e as ambulâncias tiverem realizando alguma transferência de pacientes clínicos, que não tem necessidade se ser transferido pelo Samu, os feridos do acidente vão ter que aguardar uma viatura de outra cidade chegar. A população e os políticos locais tem que se mobilizar também, pois mesmo o hospital sendo responsabilidade do Governo do Estado, mas é o povo de Goiana que é atendido e merece um atendimento digno. Apenas o empresário Flávio Borba nos apoiou durante a greve", disse o técnico de enfermagem Luciano Ribeiro.

Outro profissional que participou do protesto disse estar desapontado com tamanho descaso, "É lamentável chegar a uma situação dessas. Se a Saúde é um direito de todos, então onde está esse direito? Só no papel? Fico triste com essa situação porque moro em Goiana há 23 anos e nunca vi um descaso desses. Sabemos que nossa população é carente e depende desse hospital. A enfermagem é um dom e são poucos que tem esse dom de cuidar. Tenho colegas de trabalho que estão vivendo de doações. Eles não tem nem comida pra dar aos filhos, tendo que mandar as crianças para a casa de parentes, além do aluguel atrasado, contas pra pagar e os cobradores batendo na porta diariamente", comentou.

Policiais Militares da 3ª Companhia e Policiais Rodoviários Federais estiveram no local.

Procurada pelo Blog do Anderson Pereira, a Secretaria Estadual de Saúde informou que vem trabalhando para regularizar o pagamento dos profissionais que atuam como prestadores de serviço do hospital regional, mas não deu prazo para efetivar o pagamento. Confira abaixo a nota na íntegra:
"A Secretaria Estadual de Saúde (SES) esclarece que vem trabalhando para regularizar o pagamento dos profissionais que atuam como prestadores de serviço pessoa física no Hospital Belarmino Correia, em Goiana. Atualmente, os valores referentes ao exercício do mês de maio já estão sendo processados, conforme os trâmites exigidos para a liberação. É importante ressaltar que essa modalidade de prestação de serviço requer a apuração mais detalhada do trabalho prestado, com auditoria nas informações para evitar inconformidades nos pagamentos".

0 Comentários:

Postar um comentário

Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Blog do Anderson Pereira.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-