quarta-feira, 27 de maio de 2015

Política: Por oito votos a sete, Câmara derruba CPI que iria investigar Prefeitura de Goiana


Diante de um plenário lotado em sua maioria por contratados e comissionados de Goiana, a Câmara Municipal, por 08 votos a 07, derrubou a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que iria investigar diversas denúncias contra a Prefeitura, na gestão do prefeito Fred Gadelha. O arquivamento da CPI demonstrou a falta de independência da Casa José Pinto de Abreu diante do Executivo, onde boa parte dos vereadores abdicaram de suas obrigações como fiscalizadores do dinheiro público. Como a votação deu empate, houve voto de minerva do presidente da Câmara, vereador Renato Sandré, que também decidiu ir contra a CPI.

Caso fosse aprovada, o relatório das irregularidades da Comissão seria entregue ao Ministério Público de Pernambuco, órgão responsável pela averiguação das denúncias sobre: Valores gastos com o transporte escolar; A desativação e abandono do Matadouro Público; Desvio de mais de R$ 100 mil na compra de medicamentos destinadas aos Postos de Saúde da Família (PSF), A paralisação das reformas dos PSF's e Alterações ilegais no Plano Diretor, tipificadas como atos de improbidade administrativa, favorecendo ilegalmente várias pessoas na atual gestão.

Dentre os assuntos mais comentados após a sessão foi o posicionamento do vereador Bruno Salsa, que de última hora, todo o seu discurso mudou da água pro vinho e, por algum motivo 'desconhecido', pasmem, votou contra a CPI que era presidente e que por várias vezes criticou o governo. Com isso, o prefeito Fred Gadelha escapou mais uma vez da investigação sobre diversas denúncias sobre desvio de verba pública.

Olga Sena, vereadora responsável pela elaboração do relatório da CPI, criticou a Prefeitura pelo desrespeito aos vereadores, que teria se negado a fornecer os documentos solicitados referente aos desvios de verbas. "A Prefeitura de Goiana não respeita a Casa José Pinto de Abreu. Fizemos a solicitação de vários documentos e não recebemos nada", disse. Olga também alfinetou os colegas legisladores afirmando que está atuando em defesa do povo, "Se me negar a aprovar um relatório de investigação, estaria negando os 1.255 votos que recebi da população goianense para defendê-la e respeitá-la. Estou aqui em defesa do povo", completou.

A vereadora Olga Sena também deixou claro no relatório que os vereadores Bruno Salsa, Amanda Gomes e André Ferreira indeferiram os requerimentos para aprofundamento de outras denúncias contra a Secretaria de Saúde. Ela forneceu ao Blog do Anderson Pereira uma cópia da conclusão do documento (Leia abaixo na íntegra).

Amanda Gomes e Josemar Leite foram os únicos contra a CPI que usaram a tribuna para defender seus votos, "Se a CPI for aprovada, o prefeito Fred Gadelha vai ser cassado e as obras irão parar. Que ele termine seu mandato e depois o povo vote a favor ou contra ele nas eleições 2016", falou Amanda. Já Josemar também alegou que as obras iriam parar e que Goiana só tinha a perder com a CPI.

O vereador Zilde Barbosa foi enfático em dizer que a CPI era apenas a primeira etapa para investigação das denúncias apresentadas, dando inclusive, a ampla defesa ao prefeito Fred Gadelha, além de exigir que o prefeito fosse transparente com a população, "Seja transparente com a população, Fred Gadelha. Agora é a hora de mostrar se tem o 'rabo preso' ou não", declarou. Beto Gadelha também evidenciou a falta de transparência da Prefeitura com a Comissão.

Os vereadores que defenderam a CPI foram ovacionados com xingamentos pessoais, além de vaias, gritos e palavrões, por alguns funcionários comissionados, um público que normalmente não comparece habitualmente às sessões.

Os legisladores Ramilson Cabeleireiro e Eduardo Batista tiveram um discurso semelhante e falaram sobre a obrigação dos vereadores de fiscalizarem o executivo, "Não tenho duas caras. Irei elogiar ou criticar quando for necessário. Sou a favor da CPI pois o desgoverno nessa gestão é enorme. A exemplo das Secretarias de Educação e Saúde, que seriam a prioridade da gestão do prefeito Fred Gadelha e até agora não saiu do papel. Que com essa investigação, os secretários possam prestar contas das fraudes encontradas. Eu farei a minha obrigação como vereador, pois tenho respeito e compromisso com os 938 votos que recebi e com toda a população goianense", disse Ramilson.

Afinal, se os vereadores tem a obrigação de fiscalizar, mas abdicam de tal função, será que a Câmara Municipal de Goiana é necessária? Pelos bastidores houve até vereador afirmando que não iria arriscar perder os seus empregos na Prefeitura para defender a CPI, ou seja um típico caso de desrespeito e falta de compromisso com a população goianense.

VOTOS

A FAVOR DA CPI (ficaram de pé) - Zilde Barbosa, Olga Sena, Beto Gadelha, Arnaldo Compensado, Eduardo Batista, Paula Monteiro e Ramilson Cabeleireiro.

CONTRA A CPI (permaneceram sentados) - Renato Sandré, Bruno Salsa, Ana Silveira, Valdete Cruz, Amanda Gomes, Laercio Mello, Josemar Leite e André Rabicó.

Vereadores que votaram contra a CPI

16 Comentários:

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-