domingo, 26 de abril de 2015

Com galerias obstruídas: Poucos minutos de chuva alagam ruas de Goiana

Moradores do Loteamento José Albino Pimentel e Avenida Santo Antonio denunciaram através do whatsApp do Blog do Anderson Pereira (81.9292-6725) os transtornos causados pelos recorrentes alagamentos no município de Goiana. Com galerias obstruídas, poucos minutos de chuva são suficientes para alagarem as principais ruas da cidade e provocarem transtornos a população.

Os internautas solicitam da Prefeitura de Goiana que façam uma ação contínua de limpeza das galerias urgentemente, frente à proximidade do inverno, "Em quinze minutos de chuva intensa nossas ruas ficam completamente alagadas e a água se mistura ao esgoto e fezes. Nossas casas são tomadas por essa nojeira sem fim. Já pedimos que a Prefeitura fizesse uma limpeza nas galerias, mas nada é resolvido. A rua alaga e leva até o nosso lixo que fica esperando a coleta. Pagamos nossos impostos, mas não vemos nenhum benefício em nossa rua. Queremos que resolvam isso logo pois o Inverno está se aproximando e sabemos que esse problema pode piorar", comentou uma senhora do Loteamento Albino Pimentel.

A coleta domiciliar e de entulhos também tem sido alvo de reclamações, por causa do acúmulo de bolsas de lixos, mato e restos de material de construção em várias ruas da cidade. Os internautas alegam que as bolsas permanecem por horas no local ao alcance de animais, que acabam aproveitando o descuido para abrir o lixo e espalhar o restante pelas ruas.

2 Comentários:

deybson silva disse...

Vocês não morria é matava pelo 14 kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Aperreia 14

m disse...

Ha ha ha, sem graça sua piada Deybson!, o problema é que nem Fred e nem Henrique Fenelon resolvem os problemas de Goiana. E na próxima eleição,vocês vão votar em outro candidato errado e os eleitores não se cansam de errar.

Postar um comentário

Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Blog do Anderson Pereira.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-