segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Condado: Internauta denuncia grave crime ambiental no Rio Siriji

O internauta Antônio Carlos denunciou através do seu perfil no Facebook um crime ambiental, no Rio Siriji, em Condado, zona da Mata Norte de Pernambuco. Segundo o denunciante, uma usina de cana-de-açúcar teria despejado no rio uma substância conhecida como "Calda de Usina", referente a um resíduo tóxico pastoso e malcheiroso, chamado de vinhoto ou vinhaça, que sobra após a destilação do caldo de cana-de-açúcar (garapa) fermentado, para a obtenção do etanol (álcool etílico), provocando um grave acidente ambiental. A vinhaça deixou a água escura e com vários peixes mortos.

"Um crime contra os Condadenses, contra a natureza, contra todos. O Rio Siriji que passa aqui na nossa cidade foi covardemente violentado. Um crime bárbaro cometido contra o meio ambiente e em plena luz do dia. A Calda da Usina mata e destrói a vida nos rios. Estou presenciando uma cena de profunda tristeza. Uma verdadeira covardia", criticou Antônio Carlos.

Mesmo supostamente contaminados, os moradores da localidade ainda apanharam os peixes para consumo próprio.

Pesquisas relatam que para cada litro de álcool produzido, 12 litros de vinhoto são deixados como resíduo. Quando jogado nos rios constitui uma séria fonte de poluição. A Agência Estadual de Meio Ambiente está sendo acionada para investigar o caso.
video

2 Comentários:

Antônio Carlos disse...

Te agradeço por repercutir essa denúncia no seu blog, Anderson. Quero apenas ressaltar, que na minha denúncia, não fiz referência a Usina Santa Tereza. Obrigado de coração. Sou um admirador do seu trabalho. Sucesso!!

Antônio Carlos disse...

Te agradeço por repercutir essa denúncia no seu blog, Anderson. Quero apenas ressaltar, que na minha denúncia, não fiz referência a Usina Santa Tereza. Obrigado de coração. Sou um admirador do seu trabalho. Sucesso!!

Postar um comentário

Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Blog do Anderson Pereira.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-