terça-feira, 21 de outubro de 2014

Oposição: Dilma garante que não fará retaliação à gestão de Paulo Câmara


Com informações de Marcela Balbino, repórter do Blog de Jamildo.

Questionada pela imprensa durante a visita feita à fábrica da Fiat/Jeep em Goiana, na Mata Norte de Pernambuco, na tarde desta terça-feira (21), a presidente Dilma Rousseff (PT) garantiu que, caso seja reeleita no próximo domingo (26), não fará nenhuma retaliação à gestão do governador eleito de Pernambuco Paulo Câmara (PSB), que apoia o senador Aécio Neves (PSDB) no segundo turno da corrida presidencial.

“Eu respeito o governador eleito porque ele foi escolhido pelo povo”, garantiu a presidente, antes de afirmar que o governo federal deve ser parceiro dos governos estaduais.

Dilma também afirmou que seu governo foi o que mais investiu recursos em Pernambuco, valor da ordem de R$ 6 bilhões. O antecessor, Lula (PT), teria aplicado R$ 4 bilhões. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) teria investido R$ 600 milhões.

A petista disse que o povo pernambucano é politizado, que vai olhar e pensar qual é o melhor candidato. “Os tucanos olharam para o Nordeste com preconceito”, disse.

Pernambuco foi o único estado do Nordeste onde Dilma não venceu no primeiro turno. Ela teve 44,22% dos votos, enquanto a ex-senadora Marina Silva (PSB) ficou com 48,05%. Aécio Neves teve 5,92% da preferência dos eleitores.

Dilma perdeu a votação na Região Metropolitana do Recife (RMR) e na Zona da Mata, áreas que serão visitadas nesta terça, a cinco dias da votação. De Goiana, a presidente segue para o Recife, onde realiza uma caminhada ao lado de Lula.

Mais cedo, Dilma realizou um comício em Petrolina, no Sertão. Ela citou as obras da Transposição do Rio São Francisco e criticou a falta de água em São Paulo, estado administrado pelo PSDB.

Uma possível retaliação do governo federal ao Estado passou a ser discutida depois que o secretário da Fazenda, Décio Padilha, afirmou na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) que o governo federal deixou de repassar dinheiro ao governo estadual depois que o PSB saiu da base aliada para lançar a candidatura do ex-governador Eduardo Campos, padrinho político de Câmara que faleceu em um acidente aéreo em agosto.

A tese de retaliação foi rejeitada pelo governador João Lyra Neto (PSB), para quem a falta de recursos atingiu todos os estados.  A retaliação, porém, continuou sendo apontada pelo prefeito de São Lourenço da Mata, Ettore Labanca (PSB), e pela vereadora do Recife Priscila Krause (DEM).

0 Comentários:

Postar um comentário

Os comentários aqui postados expressam a opinião
dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Blog do Anderson Pereira.

 
-
-
Todos os direitos reservados à Anderson Pereira. Obtenha prévia autorização para republicação.
-